SOS ARGUMENTO

O Argumento precisa de sua ajuda. Faça uma doação para a C/C 07212 6, Agência 4570, Banco Itaú.

Contato - jornalargumento@yahoo.com.br


12/27/2013

EDITORIAL

EDITORIAL
Final de ano vem chegando. A última edição sempre pede algo mais. Principalmente, leveza. Então vamos nós. E nesta leveza, o Argumento saiu mais em conta, conseguimos novos anunciantes, eles chegaram pela força do amigo José Moreira Guedes, lá de Valença. Em Rio Preto, conseguimos também novos anunciantes graças à dedicação e educação da Tamires. E não é só o lado financeiro do nosso jornalzinho que está bem neste final de ano, temos duas novas colunas para deixá-lo descontraído. Estamos falando do espaço Rio Preto na Web. Esta nova coluna terá a colaboração do fotógrafo Leandro, que será chamado de “Leandro da Foco Digital”, pois esta é sua marca na rede. Ele vai colaborar mostrando o que tem de interessante na internet, bem como com suas fotos (no facebook do Argumento, já temos fotos perfeitas da nossa cidade, fauna e flora). Outra novidade será o espaço Joia Rara. Nele, teremos as figuras mais queridas de nossa cidade. Estamos falando, principalmente, daquelas pessoas que se destacam não pelo que têm, mas pelo que são. Para estreá-lo, trouxemos a joia das joias, estamos falando de quem tem mais de 40 anos de gramado, muita história pra contar e música pra cantar, esta joia é o Heitor Portugal. Dá-lhe, Moreno! Atualmente, é bom observar, anda com uma barba meio profética.  
Sobre a Santa Casa, temos notícias boas. Tem vereador que vestiu a camisa do nosso hospital e saiu em campo solicitando ajuda a empresários de Rio Preto e Parapeúna. Estamos falando do José Benedito. Parabéns ao vereador e aos empresários. Na próxima edição, se tivermos acesso, vamos publicar os nomes daqueles que estão ajudando o nosso único e merecido hospital.  
Aos nossos queridos leitores: Feliz Natal!
O Argumento lança um desafio ao leitor. Queremos ouvi-lo sobre:
1 – Como você avalia o primeiro ano da administração Agostinho?
2 – Congestionamento, como resolvê-lo?
3 – Saneamento básico (água e esgoto tratados) contra ou a favor?
BONS NEGÓCIOS
Vende-se lote com 500 m2 (13,65 de frente, com possibilidade de divisão). Rua Viscondessa Monte Verde, antes do Parque de Exposições, bairro Divino, próximo ao centro. Telefone 84444755 ou (24) 24538515 (proprietário).

NOTÍCIAS DE VALENÇA/PARAPEÚNA


NOTÍCIAS DE VALENÇA/PARAPEÚNA 

                Foi realizada, no mês passado, a eleição da nova direção da Associação Comercial de Valença, formada pelo dinâmico empresário Sebastião Roberto Vieira (Presidente) e equipe, para o triênio 2014/2017.

FOCO DIGITAL APRESENTA


FOCO DIGITAL
Por, Leandro da Foco Digital.
Fotos para aniversários, casamentos, books, eventos corporativos,formaturas  etc.
Rua Viscondessa do Monte Verde - 367 –Bairro Divino Rio Preto-MG.TEL (032)3283-1764 e  (032)8468-6358.
FOCO DIGITAL.com
Esta é a minha pagina no facebook. Ela traz para você fotos dos eventos  de Rio Preto e região, noticias do Brasil e do mundo, técnicas de fotografia e muito mais. Nela o visitante viaja no tempo, pois temos um acervo de fotos antigas e atuais. Esta também é uma página antenada com os principais eventos. Publica, em primeira mão, festas tradicionais, eventos religiosos, esportivos etc – e  tudo com a melhor cobertura fotográfica.  Rio Preto se encontra em: www.facebook.com/LEANDROREISFOTOS  ou simplesmente FOCO DIGITAL .com 
O propósito da coluna Foco Digital no Argumento é mostrar o que tem de bom para Rio Preto na internet. Esta é a nossa ideia. Pra começar, trouxemos um facebook para falar de cultura, turismo e meio ambiente. Estamos falando do:
Rio Preto Cultura, Turismo e Meio Ambiente
Este é um grupo aberto no facebook  destinado a   divulgar e informar oficialmente as atividades e eventos promovidos com o apoio das Secretarias Municipais de Cultura, Turismo e Meio Ambiente. Sua abrangência não se restringe somente à cidade, mas também faz um importante papel divulgador da região, fortalecendo os laços com nossas cidades vizinhas. Mais que visitá-lo, vale a pena também fazer parte desse grupo. Entre no facebook e digite: Rio Preto cultura turismo e meio ambiente. Depois é só aproveitar.
Na próxima edição, o destaque será dado para o Mercado Livre de Parapeúna e Rio Preto.

NOTÍCIAS DAS GERAIS

NOTÍCIAS DAS GERAIS
O que é o Cartão de Identificação do Produtor Rural emitido pelo IMA?Esta é a  identidade do produtor rural em Minas Gerais para controle sanitário dos rebanhos. Os dados contidos no verso desse cartão são os seguintes: 1 – Nome do produtor; 2 – Número do CPF do produtor;3 – Nome da propriedade;4 – Código da propriedade;5 – Município onde a propriedade está localizada;6 – Código do produtor;7 – Data da vacinação;8 – Rubrica do servidor que recebeu comprovação da vacina.
Para que serve o Cartão de Identificação do Produtor? Para comprovar as vacinações contra Febre Aftosa e Brucelose e também, para a emissão da Guia de Trânsito Animal - GTA.
Posso saber o quantitativo bovino com o Cartão de Identificação do Produtor?Sim. Todo produtor pode solicitar semestralmente no escritório do IMA onde está cadastrada a sua propriedade rural  um extrato do quantitativo bovino que possui. Para isso, basta apresentar o cartão de identificação e solicitar a ficha sanitária dos animais.
Posso consultar as informações contidas no Cartão de Identificação pela internet?
Não. Por enquanto essas informações são consultadas somente nos escritórios do IMA.

OUTRAS NOTÍCIAS


NOSSA HISTÓRIA E NOSSO MEIO AMBIENTE
Qual a origem do Dia da Consciência Negra?
Data é celebrada em 20 de novembro para lembrar Zumbi, líder do Quilombo dos Palmares, assassinado por tropas coloniais em 1695.
Na década de 1970, um grupo de quilombolas no Rio Grande do Sul cunhou o dia 20 de novembro como o Dia da Consciência Negra: uma data para lembrar e homenagear o líder do Quilombo dos Palmares, Zumbi, assassinado nesse dia pelas tropas coloniais brasileiras, em 1695. A representação do dia ganhou força a partir de 1978, quando surgiu o Movimento Negro Unificado no País, que transformou a data em nacional.
Site Adoro Cinema/10 filmes para ver no Dia da Consciência Negra 
                Neste feriado que relembra a trajetória da comunidade negra no Brasil, reveja dez grandes filmes sobre a temática racial, que discutem temas como o preconceito e a inserção social. Você também pode votar nos seus preferidos, e não deixe de nos lembrar de outros filmes que poderiam se encaixar nesta lista!1 - Cor Púrpura;2 - Histórias Cruzadas;3 - Faça a Coisa Certa;4 - alcom X; 5 - Duelo de Titãns; 6 - A Negação do Brasil; 7 - A Outra História Americana; 8 - Mississipi em Chamas; 9 - Quanto Vale ou é Por Quilo? e 10 - O Sol é Para Todos.
NOSSO MEIO AMBIENTE
Por, Valério Machado Duque – Ibama.
A Macaúba
O I Congresso Brasileiro de Macaúba: Consolidação da Cadeia Produtiva tem como principal objetivo agregar os conhecimentos técnicos e científicos sobre macaúba no Brasil e no exterior, visando à obtenção de subsídios para a consolidação da cadeia produtiva dessa espécie no País. O I Congresso Brasileiro da Macaúba foi realizado em novembro passado.
 A Macaúba.
Também conhecida como bocaiúva, mocujá, mocajá, macaíba ou macaiúva é uma palmeira rústica pertencente ao gênero Acrocomia, família Arecaceae. As macaubeiras encontram-se distribuídas ao longo da América tropical e subtropical. No Brasil, são mais abundantes nas regiões de abrangência do Cerrado, onde podem ser encontradas isoladas ou formando povoamentos naturais denominados de “maciços”. 
Embora ainda não seja uma espécie domesticada, seus frutos são utilizados diretamente como alimento, fonte de óleo para fins alimentícios, cosméticos e na produção de sabões, além da geração de energia. Outros usos, como construção e artesanatos, também são praticados. No seu ambiente natural, é um importante abrigo e fonte de alimento para a fauna silvestre.  
Pesquisas recentes indicam que a macaúba, em sistemas de cultivo adequado, tem potencial para produzir mais de 5,0 toneladas de óleo por hectare, além de tortas alimentícias e biomassa para produção de carvões e outras finalidades.  Portanto, é uma alternativa excelente como matéria prima para a agroenergia.

OUTRAS NOTÍCIAS


DILMA QUER SANEAMENTO BÁSICO 
Governo federal (Dilma) ajuda municípios na elaboração do plano municipal de saneamento básico
A Lei nº 11.445/2007, conhecida como a Lei de Saneamento Básico, tornou obrigatória a elaboração da Política e do Plano de Saneamento Básico (água e esgoto tratados) pelos titulares dos serviços. Ademais, o Decreto nº 7.217/2010 determinou que, a partir de 2014, o acesso a recursos da União, quando destinados a serviços de saneamento básico, estará condicionado à existência de Plano Municipal de Saneamento Básico.

NOTÍCIAS DE RIO PRETO


Como explicar e o que fazer com esse congestionamento?

O trânsito de nossa cidade deu o que falar nos últimos meses. Pelo menos no Argumento. Fizemos matérias nas versões impressa e online do Argumento (facebook e blog). Foram muitas curtidas, debates e, principalmente, declarações de amor à nossa cidade. Todos pedimos providências. Os vereadores foram cobrados e uma Audiência Pública foi realizada no dia 13 de novembro. Mais de 70 pessoas compareceram. O proprietário do areal também compareceu à reunião (com seus caminhões, a situação se agravou. Firmou compromisso de não circular com os caminhões durante os horários de pico). Propostas como proibir o estacionamento de carros na rua Nilo Peçanha foram defendidas. Agora é esperar qual medida o Executivo (prefeito) vai tomar para solucionar de vez com esse problema. E essa medida deve ser tomada o quanto antes, pois o que vemos todos os dias úteis na esquina e rua Nilo Peçanha é algo inacreditável para uma cidadezinha como a nossa. 

Santa Casa 

Nosso hospital já respira ares de melhora. A prefeitura está se movimentando para que a Santa Casa volte a dar um atendimento satisfatório. O vereador José Benedito também vestiu a camisa da Santa Casa e vem pedindo apoio no meio empresarial. E já são muitos empresários de Rio Preto e Parapeúna irmanados neste movimento pela nossa saúde. 
Se todos nos unirmos mais em ações e menos em críticas, certamente a Santa Casa ficará bem. E quem ganha com aquele hospital funcionando somos todos nós. 

Areal, o que os nossos políticos pensam?
 Até agora nenhum político, eleito ou não, se posicionou sobre o areal com seus caminhões. Nenhum político eleito fala sobre, por exemplo, o afundamento das ruas, os barulhos, o congestionamento que se agravou na rua Nilo Peçanha etc. Só pra alertar, em Santa Rita, nossa vizinha cidade, os políticos também não estão ligando para os areais de lá. Em Santa Rita já são qu inze balsas (nem todas legalizadas) e mais de 200 caminhões circulando, diariamente.
Hoje, em nossa cidade, existe apenas um areal. Ele está legalizado (Uma placa informa as licenças e a administração passada concedeu Alvará de funcionamento) e gera alguns empregos. Assim, não estamos falando em retirada do areal, mas precisamos de uma solução para tirar os caminhões do perímetro urbano ou amenizar sua passagem.
Por fim, diante desse negócio lucrativo e com possibilidades de prejuízos para a cidade, qualquer silêncio por parte dos nossos representantes é no mínimo estranho. Para acabar de vez com este silêncio, o Argumento oferece dez linhas para os políticos eleitos (prefeito e vereadores) e Secretaria de Meio Ambiente se posisionarem. Se nada for feito, se esta omissão continuar, estamos correndo o risco de uma invasão de balsas em nosso rio, o que quer dizer prejuízos maiores para a nossa cidade e o nosso meio ambiente, aqui devido ao assoreamento que as balsas causarão no rio.

Água vai ser cobrada. Câmara promove discussão salobra 

Virou Fla x Flu a votação sobre cobrar ou não o líquido precioso. Muitos gritos e poucos argumentos afogaram uma discussão que poderia ter sido proveitosa sobre o uso racional da água, o que quer dizer, por exemplo, não deixar a torneira aberta.
Até que o nosso jornalzinho tentou querer saber mais sobre os porquês de ser contra ou a favor, ofereceu dez linhas para cada vereador explicar sua posição e voto, mas...

Ficou decidido que será criada uma autarquia municipal  que se responsabilizará pela cobrança, isto quer dizer que não teremos a Copasa prestando os serviços de tratamento e cobrança.

O convite sobre os porquês de ser contra ou a favor da cobrança e uma explicação sobre a autarquia que será criada ainda está de pé. Com a palavra, os nossos vereadores.

                
Argumento no Facebook

Venha participar do Argumento no facebook. Já somos mais de 400 amigos. Para participar é só enviar uma solicitação de amizade. Sendo adicionado, o leitor vai ter notícias diariamente de Rio Preto, vai poder opinar e entrar nos debates, sem contar as fotos, poemas, humor e tudo mais que o Argumento online está proporcionando.

No Argumento já tem político participando também. O vereador Alex posta notícias do seu trabalho no mural do Argumento.

Lembrando que no Argumento há espaço para todos os políticos, é só enviar uma solicitação e começar a participar, ou melhor, prestar contas.

Venha ser amigo do Argumento no facebook, prestigie este veículo de comunicação que não publica matéria paga. Participe desta democrática e independente via informativa.

BONS NEGÓCIOS

Vende-se lote com 500 m2 (13,65 de frente, com possibilidade de divisão). Rua Viscondessa Monte Verde, antes do Parque de Exposições, bairro Divino, próximo ao centro. Telefone 84444755 ou (24) 24538515 (proprietário).

NOSSAS CRÔNICAS

NOSSAS CRÔNICAS
Três crônicas: Tragédia do Cavaco, Animais de Estimação e Língua Portuguesa.
Tragédia do Cavaco
Por, João Marcos Honório Carneiro.
Amigos moradores do Cavaco e demais moradores de nosso município e região. É doloroso lembrar o trágico acontecimento de 31 anos atrás. Quando um casal de velhinhos morreu soterrado sob as terras umidecidas da encosta do terreno vizinho ao bairro. Era verão e chovia muito. Dona Glorinha acabara de chegar do trabalho e minutos antes passava no local. Salvador Miguel dos Santos foi o primeiro a socorrer as vítimas. Talvez isso o tenha feito participar da tão útil brigada anti-incêncio de Rio Preto.  
Bem sabemos: água de morro abaixo e fogo de morro acima ninguém segura. Também não segura a verdade quando ela deve aflorar.
Naquela tarde de agosto, há dois anos atrás, acompanhei com angústia os incêndios que se proliferavam em nossa cidade. Fui até a lan house – pois não possuía computador próprio e fiquei aquela tarde de domingo inteira procurando um remédio para toda aquela situação. Foi então que achei um tipo de capim muito utilizado no oriente para segurar as encharcadas encostas plantadas de arroz.
O verão já iria chegar com suas chuvas frequentes e abundantes. O pesadelo daquelas lembranças de infância veio à minha memória. Tentei em vão recorrer às autoridades. Tentei fazer uma reunião com os moradores do Cavaco. Escutei às bocas pequenas: Ele é um chato! Se ser exigente é ser chato, eu assumo: sou chato. E vou chatear mais uma vez todos vocês convocando uma reunião para ver se nós conseguimos junto às autoridades fazer que a Secretaria Municipal do Meio Ambiente consiga dialogar com os proprietários daquelas áreas. Coisa que me foi negada naquela época. 
Animais de Estimação
Por, Célia Vaz. 
                O nome já diz tudo: de se estimar. Não para trabalhar ou dele se alimentar, esses animais são adotados cada vez mais nos dias de hoje e estão sendo tratados como se fossem pessoas da família. Parecem cumprir a missão de suprirem carências afetivas. Sejamos sinceros: os laços sociais entre as pessoas vão se diluindo, rompem-se acordos por qualquer coisinha; em contrapartida,fica-se mais tempo em casa (foge-se da violência, da exposição, da lei seca, e tc.). Some-se a isso Internet e churrasqueiras modernas (falaremos sobre churrasco mais adiante) e mais o apelo ecológico e temos o “ecossistema” perfeito para a proliferação desses animaizinhos,que segundo cientistas1, é um dos fatores, devido a seu grande número, que contribuem para emissão de carbono no planeta. Sugere-se até a proibição total das mascotes em todo o mundo como forma de diminuir o aquecimento global. Você acredita que as pessoas abririam mão de suas “petizinhas” particulares  em  prol de um bem comum? Mas deixa isso pra lá!
        A história dos homens com os animais domésticos começa a muito tempo atrás,mais ou menos oito mil anos antes de Cristo. Era o início da revolução agrícola, mudando os hábitos do homem que se tornava sedentário e começava a formar as primeiras aldeias. Em casa estocavam grãos,que atraíam roedores, que atraíam gatos selvagens2, e em volta delas ia surgindo “o lixo”, que atraía,por exemplo,lobos, que por sua vez ajudavam a manter distantes predadores mais perigosos...
        Eis a origem dos gatinhos e cachorrinhos que toda criança adora, aliás, foram elas  quem provavelmente começaram a trazer filhotinhos para casa e convenceram os chefes da família mesolítica3 a aceitarem os pequeninos. E essa parceria funciona desde então, em simbiose perfeita,graças,em grande parte, à inferioridade dos animais em relação ao homem e à consequente submissão a seus donos.
         Mas nosso DNA ainda é o mesmo, e sentimos muitas saudades de nossa vida selvagem,de nossas fogueiras (falaremos sobre elas também); e olhar no fundo dos olhos de um animal,um unstante que seja,nos remete a esses tempos antigos de vida ao ar livre,sem lâmpadas,TV,sem contas a pagar... E é esse olhar que nos torna selvagens novamente,e,ao mesmo tempo,alimenta nossos instintos,sempre insaciáveis,de cuidado à prole... E como o homem precisa expressar seus afetos,se não for com os sua espécie,que seja com outras... A psiquiatra Nise da Silveira4 usava cães e gatos em sua lida com os pacientes e os chamava “co-terapeutas”!
        E conjuntamente com a agricultura veio o pastoreio,com o homem domesticando os animais para fins de alimentação e trabalho (tração). A bicharada não tinha moleza não! como não tem ainda hoje,vide o caso da invasão do Instituto Royal por manifestantes que literalmente,soltaram os cachorros! Mas será que depois foram comemorar com um churrasquinho*? Então,assim como na vida,alguns animais merecem mais consideração que outros? Cachorro vale mais que porco? Frango,boi? Mas deixa isso pra lá!
        De qualquer forma,não há mesmo maneira dessa amizade acabar,pelo contrário,ela só se fortalece. E nem falamos de mercado ainda! Biscoitinhos e roupinhas,caminhas e bolinhas! Mas deixa isso pra lá!
1 James Lovelock,procura na Internet.2 Foi do gato selvagem africano ( Felix Lybica) que derivou o atual gato doméstico. Assim como nós,da África para o mundo!3 Mesolítico,período que começa entre 10.000 e 8.500 a.C. e termina cerca de 5.000 a.C.4 Nise da Silveira,procura!* Finalmente,o hábito do churrasquinho também é outra coisa que o homo sapiens não largará jamais. É a reminiscência daqueles dias de caçadas fartas,a tribo reunida, homens, mulheres e crianças em volta da fogueira que iluminava e cozinhava, e que aquecia a noite límpida,de miríades de estrelas.
Célia Vaz é artesã, poetisa de papel e muito amiga de sua gata nas horas vagas.   
CURIOSIDADES DA LÍNGUA PORTUGUESA
Por, Virgínia Almeida Ferreira. 
                Tive a felicidade de estudar na E.E.Dermeval Moura de Almeida onde um professor marcaria minha vida para sempre e me ensinou a venerar a língua portuesa – Prof. Vitorino. Também tive meu pai grande incentivador da leitura, além de nos contar histórias, colocava variedade de livros em nossas mãos, nos fazendo amá-los. De tudo isto ficou o gosto pela literatura e a facilidade em expressar pensamentos no papel. Como diz Saramago : “Quem de palavras tem experiência, sabe que delas deve esperar tudo”. A história das palavras é a história do homem. Elas nascem e atravessam idiomas, mudando quase sempre de formas para se adaptarem à fala de um povo – e muitas vezes no conteúdo – revelando o olhar e o pensar dos novos usuários. A surpresa pode estar na origem de uma palavra (um azulejo não é obrigado a ser azul), (é possível quebrar um galho sem nenhuma árvore por perto). Expressões e falas da língua portuguesa às vezes nos divertem sem nem mesmo sabermos como surgiram e por que são hoje usadas da forma que a utilizamos. Assim expressões surgiram e são utilizadas por nós no cotidiano como: Por que uma pessoa é cheia de nove horas? – De onde veio o puxa-saco? – Por que os dias da semana têm feira? – Onde Judas perdeu as botas? – De que cor é a cor de burro quando foge? – Por que mandar alguém plantar batatas? – Quando é que se volta à vaca fria? – Por que julho e agosto ficaram juntos com 31 dias? – Por que o doce brigadeiro ficou com este nome? – Casa da mãe Joana?- Santo do pau oco?.........Assim muitas expressões que usamos hoje têm sua origem e significado,vou apenas dar uma palhinha para vocês leitores sobre algumas destas expressões: - Onde Judas perdeu as botas ( é claro que Judas nunca usou botas, pois estas não existiam  no seu tempo mas, nas pintura ele sempre as usava pois foi condenado a vagar para sempre por lugares muito distante, onde provavelmente perdeu as botas nos confins do mundo) – Casa da mãe Joana ( lugar onde todo mundo manda e faz o que bem entende. Origem nos bordéis franceses onde Joana uma famosa cafetina abria as portas dos bordéis para qualquer um , com o sentido de uma casa que está aberta a todos). – Cor de burro quando foge (a expressão é deturpação de outra, do tempo em que os animais andavam soltos na cidade: “corro de burro quando (o burro) foge) – Plantar Batatas (era em Portugal uma atividade inferior à de ser operário de fábricas por ser atividade desprestigiada e braçal, que inferiorizava o trabalhador, destinava-se, portanto a gente desqualificada). Já que estamos falando de curiosidades, você sabe o que aconteceu com os reis magos após terem enganado Herodes? Simplesmente sumiram. Mas um dia em um sonho pude saber que os magos de cabelos brancos, transformaram-se em meninos. Eles haviam dado ao rei menino ouro, incenso e mirra. Mas o que não se conta é que o menino tenha  dado presentes a eles também.  E o que ele deu,  foram seus sonhos de criança! Bastou que os magos sonhassem o sonho do menino para que se transformassem em crianças, com olhos de menino. Que neste Natal cada um de nós nos transformemos em criança vivendo dentro de nossos mais belos sonhos, brincando na esperança de que o saco de Papai Noel esteja cheio de esperanças, partilha, amor, amizade, felicidade, compreensão, sabedoria, para distribuir a todos que conosco conviveram neste ano que passou.
Feliz Natal!

11/18/2013

Audiência Pública debateu o trânsito

O trânsito de nossa cidade deu o que falar nos últimos meses. Pelo menos no Argumento. Fizemos matérias nas versões impressa e online do Argumento (facebook e blog). Foram muitas curtidas, debates e, principalmente, declarações de amor à nossa cidade. Todos pedimos providências. Os vereadores foram cobrados e uma Audiência Pública foi realizada no dia 13 de novembro. Mais de 70 pessoas compareceram. O proprietário do areal também compareceu à reunião (com seus caminhões, a situação se agravou. Firmou compromisso de não circular com os caminhões durante os horários de pico). Propostas como proibir o estacionamento de carros na rua Nilo Peçanha foram defendidas. Agora é esperar qual medida o Executivo (prefeito) vai tomar para solucionar de vez com esse problema. E essa medida deve ser tomada o quanto antes, pois o que vemos todos os dias úteis na esquina e rua Nilo Peçanha é algo inacreditável para uma cidadezinha como a nossa.

11/12/2013

É amanha


É amanhã, às 19 horas, a reunião que vai discutir o trânsito da rua Nilo Peçanha. Para resolvê-lo será preciso uma ação conjunta. Teremos, inclusive, um especialista em trânsito, como informou a Câmara. Somente para registro histórico, o trânsito nessa rua se agravou após a transferência do ensino municipal (Escola José Rogério) para o Parque de Exposições. Os ônibus escolares congestionaram em demasia a rua acima citada e a rua Viscondessa do Monte Verde. A situação se agravou com os caminhões do areal. Solução há, mas vai depender de vontade política, principalmente. O Argumento estará presente através de um riopretano que se prontificou a comparecer à reunião.  

Certamente, os interesses da cidade devem vir em primeiro lugar. Isto é, precisamos pensar nos moradores da rua Nilo Peçanha, proprietários de imóveis, transeuntes, bem como no patrimônio público. Aqui estamos falando das ruas, encanamentos d’água e redes de esgoto.

Do Argumento fica o apelo: procure comparecer a essa importante reunião. Do Argumento fica a posição: vamos noticiar sempre os problemas que esse trânsito pesado vem causando nas ruas de Rio Preto, bem como os transtornos que ele traz para muitos riopretanos.

11/06/2013

Piada do Menezes

Alô, Argumento.
Menezes (Frasme)
Envio esta piada, não é de minha autoria, mas de minha mais profunda pesquisa.
A FÁBULA DO SAPO E A LAGARTA
UMA LAGARTA SE APAIXONOU PERDIDAMENTE POR UM GIRINO.... E RESOLVERAM SE CASAR.
NO DIA DO CASAMENTO, A LAGARTA FOI PRO SEU CASULO E DEMOROU MUITO PARA SE ARRUMAR.
QUANDO SAIU O GIRINO JÁ HAVIA SE TRANSFORMADO EM UM SAPO! FEIO E GORDO. E A LAGARTA TAMBÉM JÁ HAVIA SE TRANSFORMADO EM UMA LINDA BORBOLETA.
VENDO AQUELE SAPO FEIO E GORDO A BORBOLETA DISSE:
NÃO VOU MAIS ME CASAR COM VOCÊ, SEU SAPO FEIO...!
E BATEU ASAS E FOI EMBORA.
O SAPO OLHOU A BORBOLETA VOANDO E COM SUA LÍNGUA GRANDE E CERTEIRA PEGOU A BORBOLETA E A COMEU...
MORAL DA HISTÓRIA:
SE VOCÊ ESTÁ FICANDO VELHO, GORDO E FEIO MAS TEM UMA BOA LÍNGUA, FIQUE TRANQUILO...SEMPRE VAI COMER ALGUÉM...!

Outras Notícias

http://www.cartamaior.com.br/includes/controller.cfm?cm_conteudo_id=29243

11/05/2013

11/03/2013

Precisamos aprender

Por, João Marcos Honório Carneiro.
Amigos moradores do Cavaco e demais moradores de nosso município e região. É doloroso lembrar o trágico acontecimento de 31 anos atrás. Quando um casal de velhinhos morreu soterrado sob as terras umidecidas da encosta do terreno vizinho ao bairro. Era verão e chovia muito. Dona Glorinha acabara de chegar do trabalho e minutos antes passava no local. Salvador Miguel dos Santos foi o primeiro a socorrer as vítimas. Talvez isso o tenha feito participar da tão útil brigada anti-incêncio de Rio Preto. Bem sabemos: água de morro abaixo e fogo de morro acima ninguém segura. Também não segura a verdade quando ela deve aflorar.
Naquela tarde de agosto, há dois anos atrás, acompanhei com angústia os incêndios que se proliferavam em nossa cidade. Fui até a lan house – pois não possuía computador próprio e fiquei aquela tarde de domingo inteira procurando um remédio para toda aquela situação. Foi então que achei um tipo de capim muito utilizado no oriente para segurar as encharcadas encostas plantadas de arroz.
O verão já iria chegar com suas chuvas frequentes e abundantes. O pesadelo daquelas lembranças de infância veio à minha memória. Tentei em vão recorrer às autoridades. Tentei fazer uma reunião com os moradores do Cavaco. Escutei às bocas pequenas: Ele é um chato! Se ser exigente é ser chato, eu assumo: sou chato. E vou chatear mais uma vez todos vocês convocando uma reunião para ver se nós conseguimos junto às autoridades fazer que a Secretaria Municipal do Meio Ambiente consiga dialogar com os proprietários daquelas áreas. Coisa que me foi negada naquela época.


Foto: FALCO Rufigularis ou Falcao Caure ,eu tive o prazer de fotografar esta bela ave  em uma oportunidade em que ela estava  habitando a torre da matriz de Nosso Senhor Dos Passos de Rio Preto ,onde permaneceu por alguns meses com seu companheiro ,esta ave e considerada  em extinçao ,mas fomos agraciados com sua presença por um tempo ,onde pude fotografa-la  nesta foto podemos ver que ela esta se alimentando de um inseto ..mas fotos na nossa pagina do facebook-www.facebook.com/LEANDROREISFOTOS ou FOCO DIGITAL.com
FALCO Rufigularis ou Falcao Caure ,eu tive o prazer de fotografar esta bela ave em uma oportunidade em que ela estava habitando a torre da matriz de Nosso Senhor Dos Passos de Rio Preto ,onde permaneceu por alguns meses com seu companheir...o ,esta ave e considerada em extinçao ,mas fomos agraciados com sua presença por um tempo ,onde pude fotografa-la nesta foto podemos ver que ela esta se alimentando de um inseto ..mas fotos na nossa pagina do facebook-www.facebook.com/LEANDROREISFOTOS ou FOCO DIGITAL.comVer mais


10/30/2013

Anote esta reunião, ela vai falar de trânsito.

Foi assim com o garimpo. No início havia um silêncio. Por parte de muitos empresários, um silêncio confortável. De proporções menores para o meio ambiente, mas de prejuízos econômicos para a cidade, temos um novo problema: o areal. Não pela atividade em si, mas pela utilização das ruas da cidade como caminho de caminhões pesadíssimos. De concreto, até agora, uma reunião que discutirá o trânsito na rua Nilo Peçanha. Esta reunião foi marcada para o dia 13 de novembro, às 19 horas. Com sorte, ou melhor, independência, algum vereador poderá pedir a palavra para falar dos caminhões que estão afundando as ruas. Já a solução jurídica é dada por lei a dois órgãos: o Ministério Público e a Defensoria Pública (legitimados para uma Ação Civil Pública, caso não haja entendimento). Será que vão comparecer à reunião? Nós da imprensa, estamos cumprindo o nosso papel, que é o de noticiar questões como essa. Como cidadãos, estamos aqui pra dizer que muitos riopretanos querem uma solução para este problema. Por parte do areal, também já percebemos que há vontade de entendimento.  O ideal seria então que já se buscasse uma solução e a reunião do dia 13 fosse também o momento de anunciar algumas medidas já acertadas entre Prefeitura, Câmara, Areal e proprietários de carros que estacionam na rua Nilo Peçanha. Do contrário, sem prévios encontros, corremos o risco de ter mais um bate-boca que em nada servirá para a solução de mais esta questão importante para a cidade.

Vigilância Sanitária

O site da Prefeitura publicou, no dia 24 passado, esta notícia: "A Secretaria de Vigilância Sanitária, através de seu Coordenador o médico veterinário Vinicíus Monteiro, foi apurar uma denúncia de produtos com validade vencida vendidos em estabelecimento comercial de Rio Preto, após a confirmação fez a apreensão de todos os itens encontrados nas prateleiras fora do prazo de validade e multou o estabelecimento pela prática irregular de comercialização de produtos inadequados ao consumo humano.
Esse é um trabalho sério que tem respaldo em leis que regulamentam este setor".

10/25/2013

Gritaria


A última reunião da Câmara foi pouco produtiva para tratar de assuntos tão importantes para a vida do riopretano, quais sejam, verba para saúde, empregos e água potável. Diante disso, o Argumento está oferecendo dez linhas para cada vereador se posicionar, com mais argumentos, sobre essa reunião, esclarecendo para a municipalidade se é verdade que o município foi agraciado com uma verba de 14 milhões de reais e se vai haver mesmo uma geração em massa de empregos. Oferecemos dez linhas para cada vereador, letra times new Roman, com tamanho 11. Para complementar, caso haja interesse de qualquer vereador, o Argumento abrirá também espaço para entrevistas. Com isso, pretendemos detalhar ainda mais este assunto, que é de suma importância para a nossa cidade. Queremos garantir que não vai ser por falta de espaço o debate sobre essa verba. E esperamos também que não seja por falta de vontade. Com a palavra os nossos vereadores.

10/16/2013

Trânsito, nova data para a audiênca pública.

A audiência pública para discutir o trânsito da rua Nilo Peçanha terá nova data, ela foi remarcada para o dia 13 de novembro, às 19 horas. O motivo é para possibilitar a presença de um especialista em trânsito. Isso quer dizer que teremos mais tempo para debater o nosso meio ambiente urbano. Hoje, temos um congestionamento inacreditável para uma cidade do interior, ruas afundando e um prejuízo econômico dos grandes para os cofres públicos e, em consequência, para os contribuintes se nada for feito. Durante nossas publicações, muito já se pensou sobre o trânsito. Veja o que já foi sugerido: proibir o estacionamento na rua Nilo Peçanha (começando na esquina até as Três Biquinhas) e proibir o trânsito das carretas do areal durante os horários de maior movimento, ou seja, entrada e saída para a escola municipal que fica lá no bairro Divino. Para evitar prejuízos com as pesadas carretas as sugestões que já temos são: reduzir a carga e proibir o tráfego das mesmas nos finais de semana. Mande também a sua sugestão, vamos pensar este problema que é de todos nós e, claro, vamos comparecer no dia 13 de novembro na Câmara de Rio Preto.

10/15/2013

O trânsito e a Secretaria de Meio Ambiente e Turismo.

Está faltando a participação da Secretaria de Turismo e Meio Ambiente no debate sobre o trânsito caótico que a nossa cidade vive, bem como sobre os prejuízos econômicos que ela possa ter. Afinal, esta questão aborda também um outro tipo de meio ambiente, que é o meio ambiente urbano. E se este vai mal, os reflexos serão sentidos também no turismo, atividade econômica que tenta se firmar em nossa cidade e muito bem divulgada por essa secretaria que, inclusive, já mostrou sua competência em realização de eventos. Assim, a solução desse problema passa obrigatoriamente pelos órgãos competentes: secretarias, prefeitura, câmara, promotoria e defensoria (os dois últimos são titulares de uma ação chamada Ação Civil Pública. Através dela, temos uma defesa legal para questões que envolvam prejuízos aos cofres públicos, meio ambiente etc). Lembramos que no dia 30 de outubro teremos uma audiência pública agendada pelo Presidente da Câmara, o Eliado (vereador Leandro). Momento que se buscará uma solução para o trânsito da rua Nilo Peçanha. Lembramos, finalmente, que a participação do riopretano nessa reunião é tão importante quanto a dos órgãos acima. Quanto a nós, teremos um representante na reunião para fazer toda a cobertura. E, já adiantamos, teremos uma edição especial do Argumento para divulgar esta questão.

10/12/2013

Areal quer anunciar no Argumento

O areal propôs fazer um anúncio no Argumento. Certamente já leu que o nosso jornalzinho anda no vermelho desde a primeira edição (2005). E quem acompanha o nosso jornalzinho já sabe também que não publicamos matérias pagas. Agora com esta proposta do areal de pagar um anúncio no Argumento surgiu para nós outro desafio, qual seja, só vamos anunciar empresários que não são questionados pela nossa publicação. Assim, queremos agradecer a proposta do areal (e outras que surgirem) e dizer que a rejeitamos por dois motivos: independência e respeito aos nossos leitores. Então é bom dizer também que não somos o inimigo número um do areal, muito menos donos da verdade, somos sim uma publicação independente que, por isso, tem condições de questioná-lo. E nesta linha de publicação independente, queremos, e muito, noticiar que o areal e os nossos representantes políticos solucionaram esta questão, inclusive já podemos dizer que o areal está ciente de sua responsabilidade. Resumindo então: um anúncio do areal em nossas páginas soaria como um acordo; somos uma publicação independente; colocamos em primeiro lugar os nossos leitores e, claro, os interesses da nossa cidade.

10/09/2013

Notícia de última hora

Notícia de última hora. Acabou de nos telefonar o Sr. Geovane e se apresentou como um dos proprietários do areal. Foi uma conversa de quase quarenta minutos. Uma oportunidade que tivemos para reafirmar o que estamos publicando. O Sr. Geovane informou que está buscando soluções para reduzir o impacto que os caminhões vêm causando para o trânsito, ruas e moradores. Entre as soluções, falou que os caminhões estão transportando menos areia, isto é, estão com uma carga menos pesada. Na questão ambiental e como compensação, fomos informados que ele vai reflorestar as margens (obrigação imposta pela licença que recebeu) do rio e tem também a vontade de repovoá-lo.
Ele foi avisado por nós da reunião que vai ocorrer na Câmara sobre o congestionamento na rua Nilo Peçanha, que se agravou com os caminhões do areal. Pedimos para que ele procurasse o Eliando (Leandro da Cemig), pois é o Presidente da Câmara e está com a reunião em pauta. Falamos também da Lei batizada de Guardiões do Rio Preto, uma lei para proteger o nosso rio através de ações de reflorestamento e conscientização da população. Uma lei, porém, que ainda está no papel. Falamos desta lei já que pode ser uma via para a compensação ambiental, isto é, o areal poderia arcar com parte dos custos para colocar os Guardiões do Rio Preto em prática.
Finalmente, ficamos de conversar mais sobre esta questão, bem como fazer uma entrevista com o proprietário do areal. Momento que deixamos claro que a proposta do jornal não é a retirada do areal, mas uma adequação desta atividade, o quanto antes, para que não haja maiores prejuízos para os cofres públicos e, principalmente, para os moradores de Rio Preto. A cidade precisa se desenvolver sim, mas de forma sustentável. Vamos aguardar, divulgar e torcer para que uma solução seja encontrada o quanto antes.  

10/08/2013

Futebol e filantropia: gol de placa.

Futebol. O escritor Lima Barreto detestava, dizia que era o atraso do Brasil. Na canção “Outras Frequências”, os Engenheiros do Havaí cantam que futebol é uma bobagem. O governo Federal anda até com um slogan sobre o quanto seríamos melhores se a nossa paixão fosse a educação, mas não o futebol. Já pensou?
Pois é, mesmo pensando nisso tudo, ainda gosto de futebol. É uma paixão. E por ser paixão não há escritor, músico e muito menos governo que vá me demover deste sentimento. Como todo apaixonado, confesso também que sou um sem vergonha. Sei que há mais colorido nas chuteiras e mais desenhos nos cabelos do que nas jogadas. Vibramos mais com craques do que com os times (as finais são óbvias). E os craques estão cada vez mais escassos. De um em um vamos alimentando nossa paixão miserável. E as mesas redondas são postas sempre em torno deles. Chatas por isso. A bola da vez é Neymar e talvez o Fred. Antes, o Ronaldinho que veio para substituir o Ronaldão. Mesmo assim a gente está sempre lá esperando a quarta, esperando o final da novela, lendo as notícias do Barça e por aí vai a nossa paixão com sua caixinha de pouquíssimas surpresas.
Sei que muitos estão se desapaixonando. Sequer olham as manchetes nas bancas de jornais. Alguns ficaram até sem assunto. Ou melhor, falam do seu sentimento que acabou. E como reclamam. Reclamam e têm lá suas razões, esta paixão acaba mesmo com a gente. Somos traídos nos campos para todo mundo ver. Os craques de várzea sumiram com a várzea. Agora é tudo bonitinho, arrumadinho, marcadinho, coloridinho, etc. No diminuto disfarce sobra pouca coisa boa, a filantropia é uma delas. Um jogo para levantar recursos e, mais que isso, fortalecer pessoas especiais merece toda nossa emoção e divulgação. Quer um exemplo do quanto o futebol vale a pena neste sentido: o jogo em prol da Apae.
Voltando ao futebol das jogadas e dos campeonatos, lamentou um desapaixonado amigo que as arquibancadas também estão mudando. Para a Copa, falou, teremos ingressos no valor de R$600,00 para as arquibancadas (quase um salário mínimo), R$2.000,00 para as cadeiras, sem contar que os instrumentos musicais serão proibidos. É isso aí, nada daquele surdão e muito menos povão nos estádios do mundial. Arremata que as quatro linhas do campo estão dominadas por cartolas, bicheiros, enfim, por quem lá no fundo quer o futebol para lavar dinheiro, sonegar impostos e fazer política. É claro que estamos falando dos grandes, os pequenos só imitam esta triste realidade e dão pernada para sobreviver neste campo e às custas da nossa paixão. É claro também que temos grandes e pequenos apaixonados pelo futebol.
Tenho pena do meu amigo que não gosta mais de futebol. Ele fazia bons comentários, era mais feliz - mesmo sofrendo como a gente. Tomará que tenha uma recaída com a Copa do Mundo que vem por aí.  Tomará que se apaixone novamente e volte para a nossa mesa e conversas. Quanto a mim, estou seguro com esta paixão. Mesmo jogando diametralmente de forma oposta do que os lá de casa jogavam, provei bem cedo o gosto bom do futebol, que é o de jogar, torcer e, agora, vê-lo também associado a questões filantrópicas.

10/06/2013

Câmara vai discutir o trânsito de Rio Preto

A Câmara de Rio Preto, após nossas notícias sobre o congestionamento da rua Nilo Peçanha, que se agravou com a chegada dos caminhões do Areal, fez um comunicado ao nosso jornalzinho. Há um movimento político para tentar solucionar este problema. Vamos fazer a nossa parte e participar. Veja abaixo o que a Câmara, através do seu presidente Eliando (Leandro da Cemig), está articulando para tentar sol...ucionar este problema, que é de todos nós. Pois, se nada for feito, a cidade vai sofrer prejuízos econômicos, bem como os moradores.

Comunicado da Câmara ao jornal Argumento.

Conforme Requerimento nº 01/2013, foi solicitado ao Presidente da Câmara Eliando Antonio de Aguiar uma Audiência Pública para resolver os problemas de trânsito e pontos de estacionamento em toda a extensão da Rua Nilo Peçanha, no Centro de Rio Preto. O Presidente começou a estudar o caso, vez que é muito complexo. Em agosto tivemos a resposta do Doutor.JOSE ALBERTO BARROSO CASTAÑON, especialista e doutor em engenharia de transportes pela Universidade Federal de Juiz de Fora, que prontamente nos ouviu e veio até o município, e, juntamente com o Presidente Eliando, fez uma visita à Rua Nilo Peçanha e começou a tomar ciência do problema e para nos trazer soluções. Quando nos visitou, de imediato abraçou a causa e está preparando um projeto para ser apresentado a toda população e em especial aos moradores e comerciantes da citada rua. A audiência está marcada para o dia 30 de outubro próximo, mais como o Doutor Castañon estará em Portugal fazendo uma consultoria, vai estar presente conosco dia 09 de outubro próximo, na 15ª reunião ordinária da Câmara, para expor algumas idéias e sugestões. O Presidente Eliando agradeceu muito ao Doutor Castañon e quero deixar aqui meu agradecimento ao Adriano, por estar participando com seu Jornal e querendo ver Rio Preto de uma forma mais moderna, abraçada com um futuro que ja está aí em nossas portas. Deixo aqui o Convite a toda população, que no dia 30 de outubro será a audiência para começarmos a resolver os problemas da Rua Nilo Peçanha.

10/04/2013

O areal continuará destruindo nossa cidade?

J. Argumento/Nossa Cidade.
Um areal para se instalar precisa de licenças de vários órgãos, como por exemplo, Departamento Nacional de Pesquisa Mineral (DNPM) e Secretaria Estadual de Meio Ambiente. Mas não são só as autorizações obtidas fora do município que garantirão a sua instalação e funcionamento. Ele precisará também passar por uma aprovação municipal, que será dada através de um alvará. Esta autorização, dependendo da atividade, exigirá também a participação dos vereadores. Assim, a última palavra é sempre do município. Pois a lei protege qualquer município de riscos econômicos e demais prejuízos que uma atividade possa causar aos seus moradores, contribuintes, meio ambiente etc. São defesas administrativas e legais. Fato é que apesar dessas defesas administrativas e legais, as nossas autoridades concordaram (prefeito e vereadores da legislatura passada). Não houve um alerta para os moradores, que poderia ter sido dado através de uma publicação própria ou em um jornal local. Pior, não houve por parte dos vereadores daquela legislatura um requerimento sobre o impacto ambiental e urbano que esta atividade poderia causar. Ficamos com a sensação de que não temos representantes de fato para as questões que exigem independência e coragem. Mais uma vez a cidade e a população foram esquecidas e estão sofrendo os prejuízos deste silêncio.   
Os resultados estão nas ruas de nossa cidade e já mostram os prejuízos: ruas afundando, por exemplo. Sem contar o congestionamento que se agravou na rua Nilo Peçanha e a poluição sonora que estes pesadíssimos caminhões vêm provocando.   
Solução ainda há, prejuízos maiores podem ser evitados (tubulações de água e esgoto ainda não estão arrebentando), para isso basta que os nossos políticos, principalmente os que estão chegando agora, ajam para resolver este problema. A solução é a retirada imediata deste areal do perímetro urbano. O areal pode ficar sim, mas fora do perímetro urbano, de modo a não causar prejuízos para os cofres públicos e à população. E se estamos falando em ação e defesa dos interesses da nossa cidade, por que não falar também em uma compensação para o meio ambiente. Tirar o areal do perímetro urbano é o primeiro ato.  
Que a cidade e seus moradores, pelo menos desta vez, fique em primeiro lugar para os nossos representantes.

10/03/2013

O Amor

O Amor, por Célia Vaz
Diz uma teoria que paixão dura no máximo uns três anos - é um estado fisiológico que o organismo não mantém por mais tempo que isso - e que só depois o amor acontece - ou não. Li em algum lugar, a respeito da “química entre casais”, que seria o reconhecimento de um  sistema imunológico complementar, garantia de boa prole. Outra história diz assim: que o homem dá amor para obter sexo e que a mulher dá o sexo para obter - amor.
Certamente há muitas outras explicações para decifrar o amor, sempre tão irracional! É sem dúvida um barato da emoção, que muitos quiseram domar, por medo ou conveniências, e então veio o tal do casamento  -  que nem sempre tem a ver com amor.
Dependência emocional; dependência financeira; apego a status quo; medos variados, tipo, que ele/ela seja feliz sem você e você não; também, profunda admiração; grande tesão; prazer da companhia; etc. Você está com alguém por quê? Nem sempre a resposta é simples, é um mix de “tentações”, com fortes afetos envolvidos.
Em minha modesta opinião, não há amor sem o sentimento de admiração, o amor mesmo seria essa admiração, associada a alguns outros fatores que “esquentam” a relação. E voltando lá na teoria de que amor só depois de paixão (não que ela desapareça), quando então ele, o amor, é um processo (não coisa) vivo, dinâmico, capaz de transformar os parceiros de maneira muito pessoal e sutil, em função das personalidades específicas que estão interagindo; e essa admiração que é o assombro/atração por aquilo que nos falta, parece que estamos vendo uma mágica acontecer. Então tá,o amor é uma magia*  também. E a ideia de que esse amor tem que ser um mar de rosas perene e cheio só de certezas e sentimentos positivos é um grande equívoco, pois com tudo o que faz conosco, operando nossas dubiedades, ora é o paraíso, ora o próprio inferno. Por um lado enriquece e por outro empobrece, ele dá e consome nossas energias conforme nosso grau de entrega. Ele é esse processo que envolve prazer e dor, ou melhor, enquanto envolver prazer e dor, é porque está ativo e poderemos evoluir através dele.
Não é fácil, mas é gostoso!
*está lá no Koogan Larousse, MAGIA s.f. Arte tida como capaz de produzir,por meio de certas práticas ocultas,e feitos que contrariam as leis naturais.
 Célia Vaz é artesã autodidata e amante de literatura.

10/02/2013

Pousada do Tiê

  A pousada do Tiê está de cara nova. O que já era bonito, ficou melhor ainda com a reforma. Vale a pena conferir os novos pacotes e, sobretudo, desfrutar daquele lugar único – que só a pousada do Tiê tem: chalés confortáveis, vista deslumbrante, piscina, sauna, sinuca, bar e aquele atendimento acolhedor da proprietária Leila e de sua funcionária Angélica.

10/01/2013

Sport Clube de Rio Preto

Por – Aloísio Melo. 
Pitágoras, Platão, Heródoto e Aristóteles – essa a respeitável linha de ataque do time da Filosofia que me permito escalar, hoje, nesta coluna, sem medo de estar atropelando nenhum beque. Esses aí são cobras criadas nas disputas das idéias que enobrecem o nosso espírito. Mas existem também os que cuidaram das disputas dos gramados.
A minha fonte é não menos do que Armando Nogueira, para quem nós todos devemos tirar o chapéu para as crônica que escreveu quando era vivo. Em um de seus textos ele escalou a linha de atacantes acima, quando eles jogaram pelo Atenas Futebol Clube. Mas, convenhamos, existiu também o Sport Clube Rio Preto.
Quem não se lembra daquele time famoso. É preciso cultuá-lo nessa comemoração de seus 96 anos, agora neste 2013. Foi numa noite de 13 de maio de 1917 que surgiu o “Paz e Esperança Futebol Clube” riopretano. Ele foi o precursor do Sport.
Foi assim que aconteceu. Reunidos na Praça Barão de Santa Clara, alguns jovens da época se empolgaram em criar um time. Foram eles: Dolor Gentil Ramalho, Artur Malhado Carneiro, Felipe Flutt, Felipe Habib, Elpídio dos Santos, Joaquim Simões e Horácio Machado Sales. Eles não imaginavam que davam ali inicio a uma história verde e branca (cores do time) que permanece até hoje.
 Depois de estrear jogando contra o Cruzeiro, o novo time riopretano, o “Paz e Esperança” foi o primeiro campeão oficial de Valença. Um jogo em Rio Preto, no dia 17 de julho de 1917, aniversário do time, marcou a inauguração do “Campinho do Divino”. O jogo terminou empatado em dois.
Em 1918 o “Paz e Esperança” passou a se chamar Sport Clube Rio Preto, nome que ainda mexe com o orgulho dos riopretanos. Se se dizia de Aristóteles que era um ponta que jogava parado, pensando. Não se pode falar o mesmo de João Batista, ponta do Sport. Ligeiro, hábil com a bola nos pés, ele fez carreira além de Rio Preto, no Royal de Barra do Piraí.
Platão, ao contrário de Pedrinho, só cuidava de ginástica e educação física em sua academia. Mas o meia riopretano não deixava que a bola se descolasse dos seus pés, nunca. O filho do “Zé Pequeno” era só alma e segurança ao time em campo, principalmente se os adversários fossem o Monte D’Ouro e o Coroados, frequeses de caderno do Sport.
Pitágoras só entrava no jogo para dar ritmo e harmonia. Já o Sport tinha o João Faria e o Macaco. Com essa dupla de área não tinha prá ninguém com Pacote de quarto sagüeiro, escorando. Se Pitágoras trouxe para nós a criação estética, esses três feras do clube alviverde riopretano, pode-se dizer sem medo nenhum de errar: criaram um espaço lúdico para a bola, entre suas cabeças.
E não podemos nos esquecer do Neco, Daio, Jean, Tatita, Neil, Jardel, Wiliam e Vilela. Sei que vou me esquecer de muitos. Mas não do Ronaldo Peroti. No gol era a tranquilidade do time. Não foram do meu tempo, mas tem também o Zé Pequeno, o Soizinho e o Zinho Rosa, e, muitos outros ...O Alan !!! O goleiro Bruno !!!
E Heródoto? Ah, esse não era igual a Platão e nem Aristóteles. Mas, o seu profissionalismo, mesmo não sendo craque em campo, deixou o legado da organização.  O Sport teve em Olavo Monteiro o presidente a quem o time deveu grande parte da sua glória pelas vitórias nos campeonatos que disputou em Rio Preto e Valença. Vivam o Sport!

9/30/2013

Editorial


Editorial
O que estamos vendo nos últimos meses é uma vontade de mudar gritante nos brasileiros. A primeira bandeira levantada se viu lá em São Paulo, mais uma vez os estudantes buscando mudanças encabeçaram o movimento que se espalhou e ganhou a mídia do mundo. Depois, muitas outras bandeiras surgiram no horizonte, nos punhos e nos corações. Vários segmentos da sociedades engrossaram as fileiras por um Brasil mais justo e menos corrupto. E todas as bandeiras lá no fundo pediam o mesmo: direitos fundamentais e punições para os políticos corruptos.  
A saúde, claro, estava lá nos protestos. Ou melhor, a falta de um sistema de saúde decente. Já sabíamos que pacientes morrem nos corredores dos hospitais ou com injeções de café com leite na veia. Descobrimos outras coisas ruins, graças aos protestos. Descobrimos que há médicos fraudando plantões. Graças aos protestos, o governo foi obrigado também a reagir, chamou médicos de fora depois que as setecentas vagas oferecidas para os médicos brasileiros não foram preenchidas. Isso mesmo, não houve nenhum médico brasileiro querendo uma das setecentas vagas.  
Além da saúde, muitas outras faixas enfeitaram de cidadania as cidades brasileiras: educação, transporte, justiça, meio ambiente etc.  
Rio Preto também foi pra rua. E ir para rua em nossa cidade quando as coisas vão mal não é novidade. Saímos também contra o garimpo e o Collor. Mais que uma passeata de riopretanos, o que se viu por aqui foi um movimento predominantemente brasileiro.  Estávamos antenados com as questões do país e municipal. Pedimos punição para os mensaleiros e uma rodoviária, só pra citar. É engano falar então que presenciamos em nossa cidade uma manifestação contra o atual prefeito, como também é besteira cogitar que foi um protesto armado por aqueles que ainda não digeriram o resultado das urnas de outubro passado. Se houve algum sentimento neste sentido, ele representa uma minoria. Tivemos sim uma passeata de brasileiros em primeiro lugar – e foi bom tê-la. 
E se as coisas estão mudando para melhor no país, nossa cidade já respira este ar de mudanças e novidades. Queremos falar aqui da Apae, pois essa Associação de Pais e Amigos vem buscando outras vias de arrecadação e fortalecimento dos especiais. Foi ótima a iniciativa de mobilização da população através dos jogos beneficentes articulados pela Apae. E para falar mais sobre o que aconteceu neste evento realizado no campo do Divino, trouxemos para os leitores o Leandro para falar sobre a Apae, o Wellington para falar sobre o Cerração Futebol Clube e o Aloisio para contar a história do Sport.
E se o ar traz coisas boas, estamos vendo no horizonte a chegada de médicos em nossa cidade. Brasileiros ou estrangeiros – sejam bem vindos! 
Vamos fechar este editorial com otimismo. E que os nossos leitores, nesta edição leitores-brasileiros, aproveitem o Argumento.

9/26/2013

Viagem Literária

O Argumento vai paras as ruas no sábado. Além das notícias e crônicas, temos nossa “Viagem Literária. Abaixo, texto e pesquisa da colaboradora Virgínia Almeida Ferreira. Comece a aproveitar do que estará na versão impressa de sábado. 
 
Aí está Mia Couto, possuidor de uma obra literária extensa e diversificada, incluindo poesias, contos, romances e crônicas. A obra desse escritor no seu conjunto revela a tentativa de delinear o rosto de seu país, onde os personagens sem poderem dar conta das mudanças dramáticas da história, reinventam o cotidiano sobretudo a partir de uma linguagem inovadora que tende apontar para um devir em que se mesclam utopias e sofrimentos, muitas vezes transfigurados em maravilhas.

HORÁRIO DO FIM

morre-se nada

quando chega a vez

é só um solavanco

na estrada por onde já não vamos

morre-se tudo

quando não é o justo momento

e não é nunca

esse momento

A ADIADA ENCHENTE

Velho, não.

Entardecido, talvez.

Antigo, sim.

Me tornei antigo

porque a vida,

tantas vezes, se demorou.

E eu a esperei

como um rio aguarda a cheia.

 

 

9/23/2013

Que festa!

Rio Preto fez o seu aniversário. Tivemos um evento daqueles. Com Shows arrebatadores e dois palcos, a festa não parou. E o melhor de tudo foi a presença do riopretano, a cidade estava em peso na festa. A Comissão Organizadora foi perfeita. E já que é pra falar de perfeição, o tempo ficou sabendo de sua responsabilidade e mandou sua energia de sol, lua e estrelas.

9/16/2013

Parabéns Rio Preto

Parabéns Rio Preto pelo seu aniversário e receba este presente. O site de Rio Preto está de cara nova. Com esta nova versão, as atualizações ficarão mais fáceis. Mas, o melhor deste site ainda vem por aí. Vamos tentar fazê-lo um ponto de re...ferência entre os que buscam notícias (eventos, principalmente), crônicas, blogs, facebook e fotos da nossa cidade. Para os comerciantes, entre eles os proprietários de pousadas, o espaço para divulgação será gratuito. É isso aí, no site de Rio Preto ninguém vai pagar nada. E quem ganha com isso? Simples, quem ganha é, primeiramente, a nossa cidade (que terá um site independente na rede), os riopretanos e todos aqueles que buscam um lugar na internet para saber das belezas e eventos de nossa cidade. Se você gostou da ideia, faça do site de Rio Preto sua página inicial, divulgue no seu facebook e tudo mais que ache interessante para divulgar nossa cidade.
 
 

Translate