SOS ARGUMENTO

O Argumento precisa de sua ajuda. Faça uma doação para a C/C 07212 6, Agência 4570, Banco Itaú.

Contato - jornalargumento@yahoo.com.br


12/16/2012

Editorial

Este editorial foi feito um dia antes das eleições. Movido por expectativas, afinal no domingo votaríamos, bem como tomaríamos conhecimento dos resultados. Assim, as horas precisam passar...
Arriscamos nele a vitória do Agostinho, como era de nosso gosto.
A vitória de Agostinho foi uma vitória trabalhada durante quatro anos com o jornal O Grito e os informativos do PMDB. Com o Grito, a cidade aprendeu a falar de política durante quatro anos, foi, certamente, mais cidadã.
Adicionamos a essas duas articulações partidárias, o nosso Argumento. Estamos no oitavo ano de contraponto da notícia oficial (Para quem não se lembra, começamos com o governo Inácio - 2004/2008).
Esta vitória do Agostinho nos satisfaz, pois tiramos da administração de nossa cidade um partido (PSDB) que só votou contra os programas sociais do governo Lula e não está fazendo diferente com a Dilma. Tirando a questão nacional, nada fez por Rio Preto também. Novamente, frisamos que foi lamentável o PT daqui ficar quase quatro anos ao lado do PSDB, uma incoerência cuja causa concentrou-se em interesses menores.
Pois bem, se esta vitória satisfaz ao Argumento, ficam as perguntas: será que o Argumento vai continuar com a defesa dos cofres públicos, meio ambiente, saúde, educação? Será que vai continuar combatendo aqueles que têm condições financeiras de contratar uma máquina particular, mas não pensam duas vezes na hora de pegar uma máquina pública para as suas obras particulares (represas, loteamento para venda, transporte de árvores, terraplanagem)? São perguntas mais que oportunas, afinal o seu editor votou no Agostinho, não é? É verdade, não escondemos o nosso voto, somos sim políticos e partidários, mas somos principalmente independentes. Então os nossos respeitados leitores podem ficar tranquilos, pois ficaremos em primeiro lugar do lado dos interesses da cidade. O silêncio não nos convém e muito menos o pacto com o poder para levar vantagens com máquinas públicas, viagens com carros públicos, entre outras. Estamos atrás sim é de uma prefeitura que trabalhe pelo município e não para os eleitos.
Voltando à vitória do Agostinho, entendemos que foi também uma vitória da Dilma em Rio Preto, já que é o PMDB de Agostinho que votou com o Lula e vota com a Dilma, lá em Brasília. É uma vitória da Dilma e do seu vice que é do PMDB, o Michel Temer. A vitória do Agostinho, repetindo, é o resultado de uma oposição organizada e comunicativa contra o silêncio desta, felizmente, finda administração. Um silêncio que agora pode ser analisado até como coerente, pois fica difícil falar sobre o que não foi feito e o muito que se prometeu. Um silêncio dado aos riopretanos, primeiramente.
E mesmo dentro deste silêncio administrativo, não deixamos a cidade dormir. Fizemos o nosso papel de jornal independente. Questionamos as filas para consulta, o descaso com a Santa Casa, o abandono dos bairros, o matadouro fechado, as pontes que só foram feitas para as eleições e muito mais. Lembrando que, em muitas ocasiões, oferecemos espaço para o prefeito e seu vice responderem, mas eles se calaram para o nosso jornal e para a cidade, principalmente.  Que bom que as urnas silenciaram para as candidaturas vindas da prefeitura. Que bom que o eleitor está cada vez mais consciente para não ser enganado com montagens fotográficas.
Vai, Agostinho, abra as portas da prefeitura para a nossa cidade, gere muitos empregos para aqueles que precisam, cuide de nossa saúde, educação e meio ambiente. Não decepcione os riopretanos, sobretudo, os de baixa renda. Não se esqueça que o povo riopretano te elegeu porque em Rio Preto é você que tem a cara do Lula. Governe então com prioridade para os necessitados.
E para os pessimistas de plantão, deixamos uma frase do escritor Oscar Wilde: “O pessimista é uma pessoa que, podendo escolher entre dois males, prefere ambos.

Agostinho – quando o povo quer ninguém segura...

Uma vitória de arrepiar. 2.170 votos. 50,43 % dos votos. 595 votos de diferença. Mais votos que a soma dos dois candidatos derrotados. Tudo isso porque o povo quer o Agostinho na prefeitura. E quando o povo quer, ninguém segura.

Rodoviária

A prefeitura pôs a rodoviária no chão. Nas vésperas das eleições essa atitude foi mais para impressionar os eleitores, indicativo de obras. Pois é, a jogada não deu certo. O prefeito não se reelegeu. E agora? Como ficam os passageiros, os taxistas e todos que utilizam aquele local? A cidade espera que o prefeito dê continuidade a obra e faça a rodoviária. Deixar do jeito que está, um imóvel demolido em plena praça, sem instalação de banheiros químicos, é um desrespeito com todos que tinham naquele espaço não só um lugar seguro para tomar condução, mas também se proteger de uma chuva, por exemplo. E se a obra não for feita até o final do mandato, temos que questionar também o destino do dinheiro que estava planejado para sua construção.

Caso de doença aguarda nossas autoridades

O nosso jornal recebeu uma notícia que requer uma imediata atitude de nossas autoridades (Promotor e Assistente Social). Em São Cristóvão, uma deficiente mental anda nua pelas ruas, podendo ser vítima de agressão.
Na próxima edição, informaremos mais sobre esta questão que envolve diretamente nossas autoridades.

Querem culpar o Funil

O grupo de um candidato derrotado já tem uma desculpa para a derrota. A culpa é do Funil. Dizem que correu dinheiro. O que sabemos é que lá no Funil não correu dinheiro, correu sim foi muito abandono administrativo para o povo daquele lugar. Só para exemplificar, moradores já tiveram que fazer um mutirão e construir uma ponte, porque a prefeitura não corria por lá.

Uma dica

O Argumento indica uma boa pedida para quem quer sair para um passeio rápido e agradável. Estamos falando do bar e restaurante da Mabel, ele fica lá em São Luiz. Conhecer o barzinho Barranco é saborear um franguinho caipira com todos os acompanhamentos de uma boa comida mineira e uma ótima conversa.

O silêncio das urnas falou mais alto

O Argumento bem que tentou ouvir o prefeito e o vice. Muitas linhas foram oferecidas para os dois. Mas por parte deles era só silêncio. Silêncio principalmente dado aos riopretanos, afinal nosso jornal circula na cidade e em algumas localidades rurais, como no Funil. E foi assim por todo o mandato: a cidade sem satisfação daqueles que tem o dever de falar e administrar, pois são pagos pelos cofres públicos.
Depois de quatro anos sem se comunicarem com a cidade, prefeito e vice, ambos candidatos a prefeitura, experimentaram o silêncio eloquente das urnas. As urnas pagaram com o mesmo estilo administrativo imposto pelo prefeito e vice, qual seja, o estilo silencioso. A urnas pagaram com um eloquente silêncio. A votação do candidato eleito Agostinho é maior que a soma dos candidatos derrotados Edmar e Aleixo. Mesmo que unidos, não venceriam Agostinho.

Político mendigo recebe lição de cidadania ou voto não é migalha

Um candidato chegou numa casa lá no Funil para pedir votos. Com certa mendicância falou baixinho: por acaso o senhor não tem uns restos de votos aí? O morador do Funil prontamente respondeu: voto é coisa muito importante pra gente, não sobra nada.
Depois dessa, o candidato tomou mais um café e caiu na braquiária.

Dança das cadeiras

     Quem chega: Leandro, Gilmar, Alex Sandro, Paulo Machado, Gustavo Moreira, Rubens Nézio (Binha), Vagner (Ronaldão). Quem sai: Salvador, Wellington, Francisco (Chiquinho do Atalaia), Jose Teodorinho, Antônio Márcio, Adilson (não disputou) e Paulo Vitor (não disputou). O mais votado, novamente, foi o vereador José Benedito - 344 votos. O candidato Léo Reis se reelegeu, 136 votos, e quase foi surpreendido pela candidata Tia Néa, 118 votos.O candidato Alexei ficou por um voto.

História do Dia Nacional da Consciência Negra

Esta data foi estabelecida pelo projeto lei número 10.639, no dia 9 de janeiro de 2003. Foi escolhida a data de 20 de novembro, pois foi neste dia, no ano de 1695, que morreu Zumbi, líder do Quilombo dos Palmares.
A homenagem a Zumbi foi mais do que justa, pois este personagem histórico representou a luta do negro contra a escravidão, no período do Brasil Colonial. Ele morreu em combate, defendendo seu povo e sua comunidade. Os quilombos representavam uma resistência ao sistema escravista e também um forma coletiva de manutenção da cultura africana aqui no Brasil. Zumbi lutou até a morte por esta cultura e pela liberdade do seu povo.

Mudança

                A vontade de mudar tomou conta da cidade. Se faltou um programa de governo (ou divulgação) do candidato vencedor, sobrou, por outro lado, insatisfação para as candidaturas vindas da prefeitura. A votação de Agostinho superou a soma dos votos dos candidatos Edmar e Aleixo.

Dr. Edmar é bom de voto sim

               O prefeito Edmar, apesar de todas as falhas, entre elas a de não ter se comunicado com a cidade, não ter aproveitado as linhas do nosso jornal para rebater as denúncias e feito poucas obras, foi muito bem votado. Teve o triplo de votos do candidato Aleixo e provou que tem fiéis eleitores.

Covardia ou doença?

Como noticiar que uma pessoa envenena cães e gatos? Falar de lei, de autoridade...será de pouca valia nestas horas. Falar da personalidade doentia dessa pessoa seria pra quem entende do assunto, se é que se trata de doença. Ficamos então só com a indignação e o pensamento, que nos conforta, no ditado popular que fala: “Aqui se faz, aqui se paga”.

Comemoração - Sim!

A linha que divide comemoração e provocação é tênue. Mas já evoluímos muito e o trespasse desta linha tende a ficar mais difícil. Querer que cessem as comemorações, como alguns sugerem, é contribuir para que a democracia não se fortaleça. A cidade tem que comemorar sim e a intensidade dessa alegria só nos mostra o quanto a cidade estava triste e o quanto ela espera do futuro prefeito. Fogos, abraços, sorrisos, apertos de mãos, buzinas, adesivos e tudo mais que fique no campo da comemoração deve ser louvado. Comemoração - Sim! Provocação - Não!

Vereança, trabalho voluntário

Uma Proposta de Emenda à Constituição quer por fim ao salário de vereadores de municípios com menos de 50 mil habitantes em todo o país. A proposta é do senador Cyro Miranda (PSDB-GO). O texto tramita na Comissão de Constituição e Justiça do Senado. Se o texto for aprovado, 90% das câmaras municipais do Brasil serão atingidas. A PEC pretende ainda limitar os gastos das casas legislativas dos municípios ao máximo de 3,5% da arrecadação municipal. A proposta recebeu apoio de 30 parlamentares. Miranda acredita que se o atrativo não for o salário, os vereadores assumirão o cargo “em razão da condição cívica, da honorabilidade ou de sua capacidade profissional”. A Constituição garante que os vereadores possam acumular outras funções, se o horário for compatível com a demanda do mandato. O autor da PEC afirma que na maioria dos municípios, os vereadores se reúnem duas vezes ou três vezes por mês, e com isso, eles poderiam exercer outras atividades remuneradas. Em declaração ao site Conjur, o professor de Direito Constitucional da PUC São Paulo defendeu a inconstitucionalidade do texto porque “não existe trabalho gratuito”. Já o constitucionalista Flávio Pansieri, fundador da Academia Brasileira de Direito Constitucional (Abdconst), “a proposta não é inconstitucional” ainda crê que ela “seja bem adequada para as características de nosso país”.

O custo dos legislativos nos 5.565 municípios brasileiros em 2011 foi de R$ 9,5 bilhões, ao considerar apenas as despesas declaradas. O valor gasto corresponde quase ao orçamento do Ministério da Cultura para cinco anos, de R$ 10 bilhões. E o dispêndio anual poderá ultrapassar os R$ 15 bilhões em 2013, quando um número maior de vereadores será eleito com salários maiores que os atuais. Para Cláudio Weber Abramo, diretor-executivo da ONG Transparência Brasil, a função das câmaras de vereadores foi esvaziada nas últimas décadas por causa da “força” exercida pelo Executivo. “Os vereadores não cumprem seu papel, não fiscalizam. Quem legisla, de fato, é o Executivo. Os prefeitos compram suas bases por meio da distribuição de cargos”, avaliou Abramo em entrevista ao O Globo. A reportagem pesquisou os 26 sites dos legislativos das capitais do Brasil e constatou que a maioria não traz informações de fácil acesso. Em São Luís, no Maranhão, por exemplo, ao tentar pesquisar dados sobre a Câmara o internauta é avisado que, se continuar, a página poderá danificar o computador. “As câmaras municipais são as menos transparentes de todos os poderes. Tudo que acontece na esfera nacional, acontece na esfera estadual e é muito pior nos municípios”, conta Abramo.

 

FM NATUREZA

Adriano de O. Duque
 
E o dia vai amanhecendo. Primeiro os galos e primeiramente estão ensaiando o clarear. Isso mesmo, ainda é noite quando os galos e garnisés cantam pela primeira vez, afinam e limpam suas cordas vocais. Mais uma ou duas horas e eles estarão prontos. Até que comecem o grande concerto dá pra dormir mais um pouquinho, é a noite no seu último pedaço de escuro. 

                Tudo pronto, agora é pra valer, os galos começam, um vai emendando no canto do outro e a manhã, como disse o poeta, vai sendo tecida. Depois chegam os músicos de pequeno porte, mas de grande sonoridade para o concerto, os passarinhos. Sabiás, canários, tizis, bem-te-vis, sanhaços...tomam seus lugares nos galhos das árvores, pautas dos fios, cumeeiras de telhados, antenas de televisão e começam a transmitir suas melodias. Elas vão se misturando e no final é um só canto, uma só música: a música do amanhecer.  Lá na frente, longe dos outros, vão os pequenos boiadeiros, mas com seus poderosos cantos, tocando a lua e as estrelas para o céu do Japão.

                Neste despertar, que dura quase meia hora, há um pacto pelo canto. O tucano esquece o bem-te-vi com seus apetitosos filhotes e canta, apesar do bico, o seu canto curto; o gavião não é espiral ou rasantes certeiros, faz seu som também; os sanhaços e saíras não voam direto no doce das frutas, cantam primeiro o parabéns para a natureza; as sementeiras ainda guardam o orvalho antes do pouso dos digamos passarinhos naturebas.

                No acordar dos galos, garnisés e passarada a vontade de cantar chega em primeiro lugar. Primeiro o canto, depois o alimento. Ou a obrigação de cantar para acordar o sol que iluminará seus alimentos.

                Seja o que for, já tenho no amanhecer mais que um acordar para a barulheira da descarga, o escovar dos dentes, a água fria no rosto com a quente do café...Seja o que for, acordo primeiro para esse concerto ao vivo que a estação primavera está transmitindo todos os dias pela FM Natureza.

12/02/2012

Uma dica


O Argumento indica uma boa pedida para quem quer sair para um passeio rápido e agradável. Estamos falando do bar e restaurante da Mabel, ele fica lá em São Luiz. Conhecer o barzinho Barranco é saborear um franguinho caipira com todos os acompanhamentos de uma boa comida mineira e uma ótima conversa.

12/01/2012

Natal Feroz

Se Natal para muitos não tem limites, gastronômicos principalmente, pelo menos os enfeites deveriam ter em determinados casos. Uma colega de trabalho, pelo menos, não pensa assim. Natal mexe com a cabeça, móveis, fachada, enfim, mexe de todo jeito com ela. Não satisfeita em espalhar enfeites natalinos por toda a casa e quintal, desta vez ela foi mais longe. Explico. Começou a enfeitar os bichos da casa, uma gatinha e um, segundo ela, cãozinho. O gato vá lá, tudo bem. Mas o cão, aí ela pegou pesado, seu cãozinho que de “zinho” não tem nada, trata-se de um feroz Rottweiler. Agora ele anda rosnando com um diferencial, leva na coleira um Papai Noel dependurado. Que nenhuma criança se aventure em dar um beijinho no Velhinho da nossa colega.

11/26/2012

Caso de doença aguarda autoridades

O Argumento recebeu uma denúncia que requer uma imediata atitude de nossas autoridades (Promotor e Assistente Social). Em São Cristóvão, uma deficiente mental anda nua pelas ruas, podendo ser vítima de agressão.

Na próxima edição, informaremos mais sobre esta questão que envolve diretamente nossas autoridades.

Político mendigo recebe lição de cidadania ou voto não é migalha

Um candidato chegou numa casa lá no Funil para pedir votos. Com certa mendicância falou baixinho: por acaso o senhor não tem uns restos de votos aí? O morador do Funil prontamente respondeu: voto é coisa muito importante pra gente, não sobra nada.
 
Depois dessa, o candidato tomou mais um café e caiu na braquiária.

11/10/2012

Rodoviária

A prefeitura pôs a rodoviária no chão. Nas vésperas das eleições essa atitude foi mais para impressionar os eleitores. Pois é, a jogada não deu certo. O prefeito não se reelegeu. E agora? Como ficam os passageiros, os taxistas e todos que utilizam aquele local? A cidade espera que o prefeito dê continuidade a obra e faça a rodoviária. Deixar do jeito que está, um imóvel demolido em plena praça, sem instalação de banheiros químicos, é um desrespeito com todos que tinham naquele espaço não só um lugar seguro para tomar condução, mas também para se proteger de uma chuva, por exemplo. E se a obra não for feita até o final do mandato, temos que questionar também o destino do dinheiro que estava planejado para sua construção.

10/31/2012

Cidade à deriva

Água suja, Santa Casa na UTI, rodoviária demolida...Vivemos os piores momentos dessa Administração. A cidade está à deriva.
Capricho, vingança, cansaço, seja o que for, os riopretanos estão sofrendo com esta atitude do prefeito. Seja o que for, o prefeito deveria cumprir sua obrigação de administrador, afinal ainda está sendo remunerado pelos cofres públicos. Se não quer mais trabalhar, se não aceita o recado das urnas, então tire uma licença.

10/25/2012

Covardia ou doença?

Como noticiar que uma pessoa envenena cães e gatos? Falar de lei, de autoridade...será de pouca valia. Falar da personalidade doentia dessa pessoa seria pra quem entende do assunto, se é que se trata de doença. Ficamos então só com a indignação e o pensamento, que nos conforta, no ditado popular que fala: “Aqui se faz, aqui se paga”.

10/12/2012

Comemoração - sim!

A linha que divide comemoração e provocação é tênue. Mas já evoluímos muito e o trespasse desta linha tende a ficar mais difícil. Querer que cessem as comemorações, como alguns sugerem, é contribuir para que a democracia não se fortaleça. A cidade tem que comemorar sim e a intensidade dessa alegria só nos mostra o quanto a cidade estava triste e o quanto ela espera do futuro prefeito. Fogos, abraços, sorrisos, apertos de mãos, buzinas e tudo mais que fique no campo da comemoração deve ser louvado. Comemoração - sim! Provocação - não!

Mudança

A vontade de mudar tomou conta da cidade. Se faltou um programa de governo do candidato vencedor, sobrou, por outro lado, insatisfação para as candidaturas vindas da prefeitura. A votação de Agostinho superou a soma dos votos dos candidatos Edmar e Aleixo.

10/01/2012

Editorial


Feliz Aniversário, Rio Preto! 

ELEIÇÕES – I. 
 
As eleições estão aí a bater em nossas portas. Como na maioria das cidades do Brasil, a campanha é feita de santinhos, faixas, som e, sobretudo, promessas. Alguns candidatos nem se dão ao trabalho de elaborar um projeto de governo. Esta é a campanha que vemos. Tirando a falta de projetos, não há nada de ruim nesta festa pré-eleitoral dada pela democracia.
Por outro lado, temos o “caixa dois de campanha”, um jeito criminoso que os políticos adotam para receber dinheiro sem declarar à justiça, bem como as transferências de títulos. Felizmente, parece que o caixa dois está com os dias contados, pois há projeto de lei para bani-lo do cenário político, como vem fazendo a “Lei do Ficha Limpa” com os políticos corruptos.
Lembrando que o Ministério Público é muito importante para que uma cidade veja acontecer uma eleição limpa. Pois, é o promotor a autoridade competente para acionar a justiça contra políticos que se beneficiam dos cofres públicos, ou seja, aqueles que misturam contas e veículos públicos com suas contas e veículos particulares. Estes são os políticos que agem com improbidade administrativa e agindo assim eles vão deixando a saúde, a educação, a cultura, o meio ambiente para um segundo ou outro plano qualquer mais distante de sua obrigação e das promessas que fizeram quando precisaram da confiança e dos votos dos eleitores. E o resultado desta inversão e mistura de contas e bens não exige nenhum conhecimento científico para enxergá-lo, é só olharmos para os lados que vamos nos deparar com o índice de desenvolvimento humano da nossa cidade, que pode estar bem abaixo do mínimo admitido para a nossa região. Índice de desenvolvimento humano mede-se na saúde, educação, segurança, moradia, saneamento básico, entre outros fatores decisivos para uma cidade estruturada e com uma população sadia e culta. 

 ELEIÇÕES – II. 

Candidaturas registradas, campanhas na rua, é hora de analisarmos o que mais marcou o cenário eleitoral de Rio Preto.
Primeiramente, vamos destacar o papel da oposição e plagiando o Lula em sua frase marcante, podemos dizer que nunca na história de nossa cidade tivemos uma oposição durante um mandato inteiro, ou seja, uma oposição que se fizesse presente durante quatro anos após uma eleição. O jornal “O Grito” quebrou uma regra histórica, que era a regra da omissão. Com o Grito, a cidade experimentou falar de política durante quatro anos, sem dúvida foi este um fato histórico. Nas folhas desse jornal, vimos fotos dos bairros abandonados, acompanhamos os repasses e a arrecadação do nosso município (muitos descobriram como entra dinheiro nos cofres de uma prefeitura!), o uso indevido dos veículos oficiais e máquinas públicas, a indignação dos professores com seus salários atrasados e tudo mais que um grupo político de oposição deve fazer principalmente antes do vale tudo de uma eleição. Certamente, com o Grito a cidade amadureceu politicamente.  

ELEIÇÕES – III. 

Em última análise, a cidade ficou espantada com alianças até então inacreditáveis. A primeira delas ocorreu há quatro anos entre o PT e o PSDB. Pois todos sabemos que o PSDB votou contra todos projetos sociais do governo Lula e não está fazendo diferente com a Dilma. Diante disso, ficamos com perguntas até hoje não respondidas: o que levou o PT de nossa cidade a fazer uma aliança com o PSDB de Rio Preto? O que levou a romper esta aliança, que parecia tão forte, nas vésperas das eleições? Se o PSDB até votou contra o Bolsa Família, qual o porquê desta aliança?
Após esta união de quase quatro anos entre o PSDB e PT, fomos surpreendidos por uma outra aliança e diga-se até coerente no cenário nacional, mas inacreditável para muitos no cenário municipal. Estamos falando da união entre PSDB e DEM.  Inacreditável, pois fomos informados pelo PSDB, logo no início do governo Edmar, que a prefeitura foi encontrada em péssimas condições, com os professores insatisfeitos, máquinas sucateadas e tudo mais de ruim que fez o atual prefeito e vice-prefeito pedirem em seus jornais paciência aos riopretanos, pois a coisa estava feia. Quem não se lembra disso?

Pois bem, agora como explicar essa união? E para fazer esta união, o atual prefeito rasgou um compromisso de apoiar um candidato do PT ou o Celso Ferreira. Descartou os dois de uma vez só e fez uma aliança com o DEM.

Notícias de Rio Preto


Eleições
Errata. Na versão impressa, para esta notícia, o conteúdo não foi todo impresso. Veja abaixo todo o texto. 
Boa sorte aos candidatos e mais ainda aos eleitores. E que a sorte dos dois, candidatos e eleitores, faça a nossa cidade ser premiada com empregos, saúde, moradia, meio ambiente para que nenhum político jamais negue o seu passado. 

Alianças inacreditáveis 

Em última análise, a cidade ficou espantada com alianças até então inacreditáveis. A primeira delas ocorreu há quatro anos entre o PT e o PSDB. Pois todos sabemos que o PSDB votou contra todos projetos sociais do governo Lula e não está fazendo diferente com a Dilma. Diante disso, ficamos com perguntas até hoje não respondidas: o que levou o PT de nossa cidade a fazer uma aliança com o PSDB de Rio Preto? O que levou a romper esta aliança, que parecia tão forte, nas vésperas das eleições? Se o PSDB até votou contra o Bolsa Família, qual o porquê desta aliança?
             Após esta união de quase quatro anos entre o PSDB e PT, fomos surpreendidos por uma outra aliança e diga-se até coerente no cenário nacional, mas inacreditável para muitos no cenário municipal. Estamos falando da união entre PSDB e DEM.  Inacreditável, pois fomos informados pelo PSDB, logo no início do governo Edmar, que a prefeitura foi encontrada em péssimas condições, com os professores insatisfeitos, máquinas sucateadas e tudo mais de ruim que fez o atual prefeito e vice-prefeito pedirem em seus jornais paciência aos riopretanos, pois a coisa estava feia. Quem não se lembra disso?
            Pois bem, agora como explicar essa união? E para fazer esta união, o atual prefeito rasgou um compromisso de apoiar um candidato do PT ou o Celso Ferreira. Descartou os dois de uma vez só e fez uma aliança com o DEM. 

Candidatos à vereança 

Os eleitores de Rio Preto estão muito bem servidos de candidatos a vereador. Temos como escolher candidatos que realmente estão interessados em defender os diversos setores que habitam nossa cidade: jovens, mulheres, comerciantes, trabalhadores etc.
Os que forem eleitos, esperamos que defendam primeiramente os interesses da população. Isto é, primeiramente apoiem os interesses da população e não se importem primeiro em defender o seu prefeito. Casos de vereadores que esbravejavam quando eram da oposição e silenciaram quando apoiaram o prefeito eleito, aconteceram num passado recente.
O papel da Câmara Municipal é defender as ideias e os atos que promovam a cidadania. Precisamos valorizar os candidatos que juntem competência e o desejo de defender os interesses públicos.
             Por uma Câmara atuante e independente! 

Exposição sem parque e com cobrança, aí já é demais! 

            Exposição está aí. O único empecilho até agora, tirando a cobrança na portaria, é a área do parque. Exposição com cobrança e sem parque são falhas graves.
Acreditamos que o parque vá ficar mesmo lá no campo, afinal é a festa de aniversário de nossa cidade e aquela área é bem localizada e plana, está no núcleo da festa.
            Porém, caso isso não aconteça, a prefeitura poderá colocar o parque lá no nosso terreno. É uma boa área e, inclusive, já serviu para uma Exposição realizada na Administração Inácio. Cederemos, como fizemos da última vez, GRATUITAMENTE, a área. Será a nossa contribuição para a festa.
Para isso, bastará que o prefeito solicite a área. Afinal, neste momento, mais vale pensar na cidade, como a data e o espírito administrativo exigem. 

Argumento no Facebook 

O Argumento entrou no facebook. Participe do nosso grupo! Vamos pensar Rio Preto também no facebook. Será um prazer receber sua solicitação para ingressar no Argumento.  
Aparências nada mais... 

Mais que ficar ao lado de Lula na foto é preciso compartilhar dos ideais de Lula e defender estes ideais. Três anos e meio ao lado do PSDB, principal adversário do governo Lula, não podem ser esquecidos com montagens fotográficas.

Nossa Política


Eleições

 Colaboração da professora Virginia de Almeida Ferreira
 
              Estamos nos aproximando de um momento muito importante na vida de nossa comunidade, quando iremos fazer a escolha dos vereadores e do prefeito municipal. Uma das grandes expressões dos direitos humanos nos é mostrada através da democracia. A tríade francesa liberdade, igualdade e fraternidade, muito valorizada na história dos direitos humanos, tem como um de seus elementos a possibilidade de participação de todos na organização do Estado. Vivenciamos e acompanhamos momentos de eleições em que eleitores são alimentados com propagandas de auxilio de renda, pagamentos de contas, fornecimento de serviços odontológicos e médicos gratuitos, pagamento de viagens, enfim subsídios para as mais diversas coisas.  Em meio a tantas ofertas vantajosas, a liberdade de posição, da escolha de candidatos vai se perdendo, apesar de estarmos em pleno século XXI, em que facilmente se tem dados sobre os candidatos e suas posições. Ninguém deve se iludir que existe algum serviço gratuito oferecido pelos candidatos, alguém vai pagar a conta.  Alguns candidatos fazem propostas, acordos, promessas e compram até os sonhos daqueles que tem esperança de ver nossa cidade crescer. O voto é uma das expressões mais visíveis de igualdade humana, em que não se faz distinção de cor, sexo ou capacidade intelecutal do eleitor. Sabemos que muito ainda temos que fazer para termos uma eleição mais justa e governos mais honestos, em que o cidadão esteja mais consciente de seu voto e sejam, sobretudo respeitados. Transcrevo aqui uma historia que possibilita uma reflexão sobre o que temos como direitos, mas, que pode conduzir a uma prisão muito distante do conceito descrito como liberdade, igualdade e fraternidade.
 
         “Como capturar porcos selvagens? (de autor desconhecido:)” Você pode capturar porcos selvagens, encontrando um lugar adequado na floresta e colocando milho no chão. Os porcos vêm todo dia comer o milho gratuito. Quando ele se acostumam a vir todos os dias, você coloca uma cerca. Mas, só de um lado do lugar onde eles costumam vir. Quando eles se acostumam com a cerca, voltam para comer o milho e você coloca o outro lado da cerca. Mais uma vez eles se acostumam e voltam para comer. Você continua assim, até colocar os quatro lados da cerca em volta deles, com uma porta no ultimo lado. Os porcos, que já se acostumaram ao milho fácil e às vezes cercas, continuam a vir. Fecha-se a porteira e captura-se o grupo todo.  E assim, em um segundo, os porcos perdem sua liberdade. Eles ficam correndo e dando voltas dentro das cercas, mas logo voltam a comer o milho fácil gratuito. E ficam acostumados a ele que esquecem como caçar na floresta por si próprios. “E, por isso, aceitam a servidão.”
Devemos aqui partilhar o valor consciente das eleições, unidos a defesa dos direitos humanos. A sociedade dada como livre e democrática tem nos direitos humanos e na dignidade humana o seu referencial. O voto possibilita, na forma mais adequada possível, a igualdade entre todos. Este é o momento no qual se deve refletir e trabalhar, sob a visão de dois prismas, em nível pessoal e em nível social: numa continua vigilância do “milho dado gratuitamente”, vinculado à perda de liberdade, a um contínuo incentivo e a uma valorização dos demais direitos dados num Estado, tais como educação, saúde, liberdade de imprensa, moradia, empregos etc. Os direitos humanos também precisam de cidadãos livres e conscientes, de governantes que saibam da sua responsabilidade e de seu compromisso com todos os cidadãos independente de sua condição social “Lembre-se que o voto traz conseqüências e o prejudicado pode ser você!”

Nossa Política

A mãe de todas as batalhas
 
Fábulas confabuladas/Concatenadas pelo Frasme*
Estamos no ano 90 DC. As legiões romanas já dominaram, praticamente, todo mundo conhecido. Os Romanos são os “ban ban bans da hora”. Mandam e desmandam. Fazem coisas que até mesmo os deuses (do Olimpo grego, dos altares romanos e do Egito milenar) duvidam.
Neste ano da glória romana o imperador de plantão, Tito Flávio Domiciano, promoveu assim - digamos - a título de distração dos patrícios, a “MÃE DE TODAS AS BATALHAS”, espetáculo este que, através de todos os séculos subseqüentes, jamais foi sequer igualado.
Fez vir da longínqua e misteriosa Índia o poderoso Tigre, do continente gelado e desconhecido (1) o capcioso Ex-Kilo (2) e do deserto da Judéia o formidável Leão.
Os três Titans (2), Ex-kilão, Leão e Tigrão (tudo em “ão” e em rigorosa ordem alfabética para não melindrar ninguém), como se gladiadores fossem  adentraram, garbosamente, o grandioso palco do eterno Coliseu.
A plebe rude (3) embevecida com a entrada triunfal dos seus ídolos, ulula desesperada e estrepitosamente.
Os três, entreverados como se um só fosse, agradecem os aplausos e preparam-se para a grande batalha, digo, para a “MÃE DE TODAS AS BATALHAS”.
No centro do palco separam-se já se colocando em círculo, na posição pré-determinada.  Na mão esquerda sustentam uma poderosa massa de guerra. Na direita o terrível e temido gládio romano. Pela ordem (alfabética) o primeiro a atacar é o Ex-kilão, que com a massa de guerra desfere na cabeça do Leão uma violenta pancada. O Leão, também com a sua massa, faz o mesmo no Tigrão que por sua vez desce a cepa no Ex-kilão fechando assim o primeiro ciclo do combate. O segundo ciclo é feito com o gládio iniciando com o Leão. O terceiro ciclo é com a massa e iniciando com o Tigrão. E assim sucessivamente até que sobreviva apenas um que será declarado vencedor pelo grande imperador Tito Flávio Domiciano.
Imediatamente após a declaração doze virgens (decsculpem, não resisti) escolhidas a dedo descerão ao palco para fazer a sagração do vencedor, ornamentando a sua fronte com os louros do triunfo enquanto a plebe rude, em verdadeiro transe, provoca um barulho ensurdecedor aplaudindo e atirando flores em homenagem.
Um competente arauto irá anunciar, por todo o reino, o vencedor da “MÃE DE TODAS AS BATALHAS” citando o nome do seu pai e a sua origem.
Cem dias após, em uma cerimônia solene no NOVO PALÁCIO IMPERIAL, ele tomara posse como o novo Rei da Floresta Encantada.
Ahn, sim e quanto aos vencidos??!!
Vencidos? Rá, como dizia Átila (aquele huno metido a besta):
- Ai dos vencidos!
Notas, pretensamente, esclarecedoras ou FRASME é cultura:  Hoje conhecido como América do Norte, mais precisamente Canadá.  antigo Esquilinho que cresceu transformando-se no Ex-Kilo. Titans aqui não se trata daquela banda brasileira de rock. Êpa, outra banda brasileira de rock!
*FRASME está homiziado na ilha Curupu na baia de São Jose - MA,                                                                         de propriedade de Sir Ney, sob a generosa proteção Capitão                                                                       Hamilton, chefe da guarda real das princesas Rosa e Ana

9/21/2012

Uma omissão ou perseguição da prefeitura em face do editor desse jornal?


O prefeito e candidato Dr. Edmar lançou um material de campanha rico em fotos e citou no mesmo alguns feitos de sua Administração, com destaque para a compra de máquinas e caminhões. Na área do esporte, o prefeito noticiou a reforma do campo do Divino, diga-se de passagem, uma reforma merecida, afinal o campo também serve como área para e exposição.  
 
 
Noutro giro, queremos aqui publicar um fato que muitos não sabem. A área ao lado do Parque de Exposições pertence ao proprietário desse jornal. Nessa área, há um portão aberto pela prefeitura de forma ilegal, um muro por fazer e uma fiação que atravessa também de forma ilegal o espaço aéreo dessa área. O muro a ser feito (com as despesas divididas, conforme não abre mão o proprietário) vai sobretudo proteger os alunos que estudam naquela escola municipal.  
 
 
Há três anos, o proprietário daquela área, que é o editor desse jornal, protocolou um requerimento ao prefeito, cuja cópia está com esse proprietário, pedindo para que o portão aberto de forma ilegal fosse fechado (observação, além do portão, têm ilegalmente basculantes dos banheiros abertos para essa propriedade), retirada dos fios que conduzem energia para a escola municipal do espaço aéreo dessa propriedade, entre outras providências que até hoje não foram tomadas pela atual administração.  
 
 
Com esta postura omissa, a prefeitura põe em risco a saúde e segurança dos alunos e dos imóveis ali construídos, já que uma escola não deve estar protegida por uma precária cerca de tela conforme está e há podas urgentes a serem feitas nas árvores que divisam com essa escola e outros imóveis.  
 
 
Estamos diante de uma omissão administrativa ou uma perseguição boba (mas perigosa diante dos riscos acima citados) em face do editor do Argumento, que é o proprietário dessa área? 
 
 
Para finalizar, estamos à disposição de qualquer um que tenha interesse em conhecer de perto os fatos acima narrados (área e o requerimento protocolado), é só entrar em contato conosco.

9/09/2012

Exposição sem parque e com cobrança, aí já é demais!

Exposição está aí. O único empecilho até agora, tirando a cobrança na portaria, é a área do parque. Exposição com cobrança e sem parque são falhas graves.
Acreditamos que o parque vá ficar mesmo lá no campo, afinal é a festa de aniversário de nossa cidade e a prefeitura tem proximidade política com o Sport.
Porém, caso isso não aconteça, a prefeitura poderá colocar o parque lá no nosso terreno. É uma boa área e, inclusive, já serviu para uma Exposição realizada na Administração Inácio. Cederemos, como fizemos da última vez, GRATUITAMENTE, a área. Será a nossa contribuição para a festa.
Para isso, bastará que o prefeito solicite a área. Afinal, neste momento, mais vale pensar na cidade, como a data e o espírito administrativo exigem.

Adriano de Olivieira Duque, proprietário da área vizinha ao Parque de Exposições.  

 

9/04/2012

Carta

Olá Jornal Argumento,

Aloisio escreveu: "Eu participo da política partidária porque ela tem influência no meu dia a dia. Dependemos dela em quase tudo em nossa vida. Então, por que não participar para ajudar a influir nas decisões? É por isso que estou me candidanto a vereador nestas eleições municipais de Rio Preto, porque quero participar dos debates das decisões que irão influir na nossa comunidade. Mesmo um vereador não podendo fazer obras, entendo que apenas fiscalizando o Executivo e apresentando projetos já vale à pena influir. É muito importante que sejamos apoiadores de bons projetos e iniciativas para a coletividade riopretana e que, também, sejamos voz discordante naquilo que não atenda a coletividade. Entre os projetos que pretendo apresentar se eleito vereador está um que entendo de consequência a ampliar a cidadania. Embora já exista a Lei Federal 12.527 de 19 de novembro de 2011, acho que não seria demais propor uma lei municipal de transparência e participação, cujo objetivo será manter os cidadãos riopretanos informados de todos os atos financeiros relativos à administração pública municipal. Também penso que é possível apresentar projeto de lei para criar um Conselho Municipal de Economia Solidária, abrangendo a adoção de políticas de fomento à economia popular com selo de identificação dos produtos produzidos ou criados pelos produtores para venda e comercialização (artesanato, doces, biscoitos, etc.).Da mesma maneira, poderia ser criado através de projeto de lei o SIM - Serviço de Inspeção Municipal (se é que já não foi criado...), cuja finalidade é a prevenção sanitária dos produtos de origem animal e vegetal, fornecendo também o poder municipal um selo de qualidade ao produtor rural que se adequar à lei. É isso aí, Adriano...."

8/29/2012

Rir é o melhor remédio ou eleitor escolha o seu passado

Tem uma musiquinha de um candidato a prefeito aí que pede para nós esquecermos o passado. Ela começa com um “Vamos esquecer o passado...” e vai embora. Será que o candidato está querendo que a gente esqueça que ele faz parte de um nosso recente passado? Seja o que for, pior que um passado triste é não ter Alzheimer, Sr Candidato. E por falar em “querendo”, a musiquinha do quero-quero voltou, pelo visto faltou empenho até para fazer uma música nova. Ou, pensando bem, está até coerente, agora temos um passado em dose dupla. E já que o assunto é só passado, vamos para um passado mais distante, afinal evitemos o Alzheimer, essa doença grave que um candidato a prefeito deseja para a nossa memória. Voltemos ao passado para ver se as portas da prefeitura se abram novamente para a população, mas nem por isso se transforme em oba-oba. 
 
Boa sorte aos candidatos e mais ainda aos eleitores. E que a sorte dos dois, candidatos e eleitores, faça a nossa cidade ser premiada com empregos, saúde, moradia, meio ambiente para que nenhum político jamais negue o seu passado.

8/17/2012

Rir é o melhor remédio

Rio Preto viveu outra semana agitada. Policiais de fora, fugas, prisões...agitaram mais uma vez a noite da nossa cidade. Parece que Rio Preto está encontrando sua vocação. E ela não está no turismo e muito menos na paz que a cidade não tem mais a oferecer. Preservar e explorar suas belezas naturais é pura besteira. A vocação de Rio Preto vem se revelendo para cidade dormitório: do tráfico e das autoridades.

8/12/2012

Quando a notícia faz a diferença


O antes e o depois da notícia.

Antes de sair no Argumento estava assim:


Depois de sair no Argumento ficou assim:








8/11/2012

Bolt e Phelps - Dois lerdos

Jaguar – O Dia.

Rio -  Guepardos, leões, hienas, zebras, galgos, antílopes, coelhos, cavalos, girafas, raposas e outros bichos deixariam Bolt, o homem mais veloz do mundo em todos os tempos, a comer poeira no último lugar se disputassem uma corrida com ele. Já o peixe-espada — que chega aos 97,6 km por hora — daria várias voltas na piscina enquanto Phelps percorria 50 metros. Se bobear, até um pinguim nada mais rápido que o supercampeão e o Cielo juntos. Para mim é um mistério a sobrevivência do ser humano na natureza. Vi na tevê o nascimento de uma coruja. O bichinho quebra a casca do ovo, sacode as asas e sai à procura de comida — se antes não virar comida. O ser humano (copyright Ziraldo) nasce pateticamente indefeso e frágil. O fato de ter sobrevivido tantos milênios só reforça a teoria de Darwin de que o homem vem do macaco. Mas, mesmo assim, deu Mozart, Leonardo da Vinci e Ava Gardner. Vai entender uma coisa dessas!

E essa garotada que desandou a fazer 70 anos! Agora foi a vez de Caetano, logo depois de Gilberto Gil, Milton Nascimento e Paulinho da Viola. E vem aí, fechando a raia, Chico Buarque, daqui a dois anos. Li tudo, pelo menos uma coisa não sabia: o nome de batismo da mãe, Dona Canô, é Claudionor. Alguém aí pode me informar o que, depois dessa turma e mais uns poucos, aconteceu com a MPB? Por falar nisso, lá se foi o Magro, grande figura, do MPB4. Como dizem, depois de uma longa luta contra o câncer. Eufemismo. Ninguém luta contra o câncer. É como o Carcará,do João do Vale, companheiro de tantos porres: pega, mata e come.

João Ubaldo me deu uma grande alegria. Ele pediu, em crônica recente, desculpas aos leitores por repetir, às vezes, textos já publicados. É que, ao digitar uma crônica, fico na dúvida se já saiu no DIA. Vou tomando notas — nunca em bloquinhos que compro aos montes e sempre esqueço de levar no bolso — em guardanapos de papel ou num espaço em branco nos jornais que leio nos botecos e acabo perdendo.

8/08/2012

O que pensam os nossos candidatos a prefeito?

O que o seu candidato a prefeito pensa sobre os temas abaixo. Até agora estão em branco. Está faltando respostas ou compromissos públicos aos nossos candidatos? Vamos qualificar o nosso voto, envie perguntas para os nossos candidatos através do jornalargumento@yahoo.com.br 

1. Santa Casa – Qual o compromisso?

 2. Meio Ambiente - Rio Preto será revitalizado? Como?

 3. Máquinas e caminhões da prefeitura – Qual relacionamento com os particulares?

 4. Prefeitura e riopretanos – Haverá diálogo? Como?

 5. Educação é?

 6. Casas populares?

 7. Matadouro municipal?

 8. Turismo – o que os proprietários de pousadas e artesãos podem esperar?

 9. A prefeitura vai cumprir a Lei de Transparência e publicar no site Transparência Brasil os nomes, vencimentos e subsídios seus servidores?

 10. Pequeno produtor será incentivado de que forma?

 11. Riopretano continuará pagando ingresso na Exposição? O carnaval será melhor organizado?

 12. Festival de música, teremos pelo menos um?

 13. É possível pensar um grupo teatral para Rio Preto?

 14. Caixinha de Música vai continuar?

 15. Prefeitura e esporte terão uma parceria sem partidarismo?

 16. Rodoviária, teremos uma nova?

 17. Licitação para compra de combustível?

8/03/2012

Mensalão - início julgamento

O julgamento do esquema de corrupção denominado “Mensalão” teve início no STF – Supremo Tribunal Federal. É bom lembrar que este esquema que, para alguns, é o maior de nossa história, não é só do PT. Aliás, é bom lembrar que ele nasceu no PSDB, mais precisamente na campanha para o governo de Minas que elegeu Eduardo Azeredo. São muitos os envolvidos. Uma lista que não se restringe aos políticos, temos banqueiros, procuradores da república, publicitários e muitos outros. No time dos banqueiros e publicitários destacams-se Daniel Dantas e Marcos Valério. Já para os políticos, os julgamentos mais esperados são o do ex-governador e atual deputado federal Eduardo Azeredo (PSDB) e José Dirceu (PT).
Que o mensalão não fique impune.

7/30/2012

Promessas, futebol e agiotagem

As eleições estão chegando. O que se vê é uma corrida maluca pelo voto. Embasada em promessas desvairadas e favores eleitoreiros. Para vereador então a coisa está feia. Tem candidato lotando carro para levar seus possíveis eleitores em Aparecida no Norte. Se promessa com um santo é dívida, com as eleições surge o político como agiota para o eleitor-devedor cujo pagamento será com voto. Outros apelam para a paixão nacional do brasileiro: o futebol. Propostas e posicionamentos que são bons para o desenvolvimento do lugar, nada até agora. Para prefeito, o Argumento publicou no blog várias perguntas, mas até agora nada de compromisso no papel. Vamos questionar os nossos candidatos! Vamos qualificar o nosso voto!

7/25/2012

Caixinha de Música

O programa Caixinha de Música é um feito da atual administração. Trouxe música e dança para muitas crianças riopretanas. Vamos defender a continuidade desse programa. Para isso, vamos questionar os outros candidatos, tentar tirar deles o compromisso de que o Caixinha de Música vai continuar. Entre no debate, vamos defender projetos e propostas de cidadania. Mais que uma caixinha de música e dança, ele é uma caixa de alegrias dos baixinhos.

Melhorando a Câmara

Quantos candidatos estão disputando uma vaga das nove vagas na Câmara de Rio Preto? Mais de cem sonham com a vereança e, claro, o ótimo subsídio (salário). A média de reuniões, por sua vez, é péssima: duas por mês. Em muitos países vereadores não ganham nada. Por fim, você conhece algum vereador ou candidato que desenvolva algum trabalho social em Rio Preto? Não vale em ano eleitoral!
Entre no debate, vamos melhorar o nosso lugar qualificando o nosso voto.

7/22/2012

Mais notícias

Leitor, as novas notícias serão postadas após a entrevista. O blog ficará com a entrevista aos candidatos a prefeito sempre no início, ficaremos assim até as eleições. A medida que os candidatos forem respondendo, vamos publicando. Se você já leu as perguntas e quer notícias novas, vá até o final da entrevista para saber das novas postagens.

7/19/2012

Entrevista

Leitor e eleitor riopretano, o Argumento trouxe uma oportunidade daquelas para os nossos candidatos a prefeito se expressarem. Abaixo, elaboramos algumas perguntas para os nossos candidatos. Se você quiser participar com perguntas é fácil: mande um e mail para o jornalargumento@yahoo.com.br e questione os nossos candidatos. Outra maneira de participar é chegar para eles, os nossos candidatos, e dizer que lá no Argumento on line tem umas perguntas. Vamos ajudar a melhorar a nossa política para melhorarmos a nossa cidade. Para isso, precisamos saber o que os pretendentes do nosso voto para prefeito têm a dizer sobre a nossa cidade. Vamos buscar compromissos, propostas, abordagem dos nossos problemas, a hora é esta. Participe!

Vamos publicar as respostas por ordem de chegada.


1.      Santa Casa – Qual o compromisso?

2.      Meio Ambiente - Rio Preto será revitalizado? Como?

3.      Máquinas e caminhões da prefeitura – Qual relacionamento com os particulares?

4.      Prefeitura e riopretanos – Haverá diálogo? Como?

5.      Educação é?

6.      Casas populares?

7.      Matadouro municipal?

8.      Turismo – o que os proprietários de pousadas e artesãos podem esperar?

9.      A prefeitura vai cumprir a Lei de Transparência e publicar no site Transparência Brasil os nomes, vencimentos e subsídios seus servidores?

10.  Pequeno produtor será incentivado de que forma?

11.  Riopretano continuará pagando ingresso na Exposição? O carnaval será melhor organizado?

12.  Festival de música, teremos pelo menos um?

13.  É possível pensar um grupo teatral para Rio Preto?

14.  Caixinha de Música vai continuar?

15.  Prefeitura e esporte terão uma parceria sem partidarismo?

16.  Rodoviária será reconstruída?

17. Leitor, estamos aguardando a sua participação.


CARTA AOS RIOPRETANOS...

Prezados riopretanos,
Renato V Duque.

Este ano serão realizadas eleições para Prefeito e Vereadores!

O que o Sr. leitor e eleitor deseja? Letargia, passado, despreparo, regresso?

Se é isso, vote sem consciência, sem compromisso, sem ética...

Ou Sr. leitor e eleitor deseja : progresso, futuro, serviços, educação, saúde, investimento e ética?

Fácil nós sabemos que não é, mas é possível. Poder Público e Sociedade juntos olhando e agindo para o coletivo, SIM, é possível.

Pense bem caro Riopretano, pense bem...

Vamos continuar na mesmice ou vamos olhar para frente??? Rio Preto precisa de saúde, emprego, EDUCAÇÃO, infra-estrutura e por aí vai.

Não podemos continuar com a política do toma lá -da cá...do MEU primeiro...

Você Sr. leitor e eleitor conhece TODOS os secretários de governo? O que eles estão fazendo com a cidade?

Você Sr. leitor e eleitor tem acesso aos membros do governo municipal e da câmara?

Você Sr. leitor e eleitor o que projeta para suas crianças? Educação, oportunidades e saúde?

Pense bem!!!!

[]´s

Renato V Duque.

7/15/2012

Editorial

Rio + 20 e Rio Preto – O que temos a ver? 
No Brasil aconteceu a Rio+20, conferência da ONU sobre o meio-ambiente. O problema do meio-ambiente é muito grave e se nada for feito ficará impossível a continuação da vida no planeta. Talvez este, falado à exaustão, desenvolvimento sustentável seja uma ilusão, mas não podemos deixar de tentá-lo. Precisaríamos de um controle do crescimento populacional,diminuir o consumo e de frear o desenvolvimento das atividades lesivas à natureza. Producão de automóveis, por exemplo, deveria ser diminuída, dando-se maior eficiência aos ônibus, trens, metrôs. As pessoas deveriam também andar mais a pé, ou de bicicletas, poupando o meio-ambiente da poluição dos seus carros e motos e ganhando mais saúde. Andar a pé, inclusive possibilitaria uma maior convivência, tirando as pessoas do isolamento dos carros. É uma atitude que viria no sentido de evitar esse colapso ambiental que pode causar grande sofrimento e até extinguir a vida humana num futuro cada vez mais próximo. Afinal, o que de mais importante se pode legar às futuras gerações: automóveis ou a possibilidade de continuação da vida? Automóveis ou um ar puro? Automóveis ou um clima equilibrado? Mas os hábitos são nossa segunda personalidade e é difícil mudar um hábito. Os automóveis dão uma incrível sensacão de conforto segurança e poder, não de todo ilusória para o ser humano. Mas poderíamos trocar parte destas sensações por prazer e consciência de estar fazendo algo pela melhoria da vida no planeta, pela vida das futuras gerações. Outra atitude que ajudaria muito é plantar e cuidar de uma árvore, zelar pela preservação das matas, se preocupar com o as águas. Nesse ponto temos muito o que fazermos em Rio Preto, já que estamos vivendo numa região com muitas matas e águas que precisam ser preservadas. Seria de grande benefício para todos a criação de um parque ecológico municipal numa área vizinha a cidade. A maior parte da terra ao redor da cidade é ocupada hoje com pastagens pobres e secas. Pois é hora de começar a plantar árvores nessas terras e o caminho para isso é a Prefeitura comprar uma área e criar um parque ecológico. Quem sabe então um dia poderemos ter o conforto de termos matas, árvores cercando a cidade e podermos caminhar entre elas através de trilhas. Nossas crianças e jovens poderiam crescer mais próximos da natureza e seriam ensinados à preservá-la. Turistas estariam aqui, não somente no carnaval, para admirar a natureza em Rio Preto. Outra preocupação que merece a nossa atencão é dar um destino ecologicamente correto ao nosso lixo. Para isso podemos fazer a nossa parte separando o lixo seco do lixo molhado e procurando reciclar e produzir menos lixo. Precisamos que a Prefeitura também faça a sua parte para resolvermos o problema do lixo e de toda a questão ambiental. A esse esforço devem se juntar também a Câmara e o Ministério Público. É um desafio atual e decisivo para o futuro de nossa comunidade. Rio Preto, nós, temos muito o que fazer e os benefícios  deverão ser para todos. Seremos capazes de tomar as atitudes que o presente exige de nós?

Notícias de Rio Preto

Nota de Pesar 
Francisco Silvino Guimarães, Sr. Chico Silvino. Uma vida de muito trabalho, alegria e causos. Causos da vaca que gastava dois retireiros para ordenhá-la e equilibrá-la, um de cada lado, senão ela tombava de tanto leite. Causos da lanterna do seu filho, o Antero, de tão boa que quando ele voltava na escuridão da noite, a serra virava um dia quando a lanterna passava seu facho luminoso.
O nosso adeus ao seu Chico Silvino, pessoa querida de todos.  

Ministéro Público fecha matadouro de Rio Preto 
O Ministério Público Federal fechou o matadouro de Rio Preto. E não foi só o de Rio Preto. Muitos outros matadouros estão na mira do Ministério Público. Afinal, esta é uma questão de saúde pública. As prefeituras têm obrigação legal de vigilância sanitária. O que quer dizer fiscalizar e também construir novas instalações para que os empresários (donos de açougue) possam trabalhar com limpeza e segurança e os consumidores possam ter um alimento de qualidade.
Os motivos para esta medida drástica e necessária foram fartamente verificados no matadouro de nossa cidade. Trata-se de uma construção antiga, com infraestrutura danificada (pisos e paredes estragados e falta de sistema de tratamento das águas servidas e dos dejetos).
Há também muitos prefeitos que não deixam essa situação extrema acontecer. Zelam pela saúde da população e pela saúde e segurança daqueles que trabalham com a venda de carnes. Um exemplo é a cidade mineira de Cataguases. A prefeitura dessa cidade, através de um convênio com o governo de Minas (Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento), está construindo um matadouro modelo.   

Prefeitura ou Casa-Grande*? 
O prefeito municipal de Rio Preto decidiu nomear a nova sede da Prefeitura de “Centro Administrativo Dr. Alberto Furtado Portugal”. O nome Prefeitura Municipal de Rio Preto, que antes indicava a sede do Poder Executivo, foi apagado e esquecido com esta sua decisão.
Justo agora que poderíamos destacar o nome de nossa Prefeitura pela localização central do prédio e sua estrutura moderna. Justo agora quando poderíamos mostrá-la a nossas crianças e visitantes com orgulho.
Jamais poderia ser permitido a um grupo político que administra a cidade batizar a prefeitura com um nome de sua escolha. E não importa o valor que este nome tenha, pois para a formação da comunidade todos de certa forma contribuíram ou contribuem.
As pessoas passam, mas as instituições é que devem durar. E a Prefeitura Municipal é uma de nossas principais instituições.
Quando crianças, assim que aprendíamos a ler, ao passar pelo prédio da prefeitura líamos o seu nome com uma mistura de respeito e curiosidade.
Aquele ato de ler e identificar o nome da prefeitura era parte do descobrimento de que vivíamos em comunidade. Pois hoje então, não podemos privar nossas crianças deste nome que representa nossa comunidade. Podemos imaginar o embaraço, a dúvida que terá um visitante ao procurar nossa Prefeitura e não encontrar o seu nome?
O espaço principal da administração em Rio Preto, o espaço que abriga o gabinete do prefeito, deve ser denominado Prefeitura Municipal de Rio Preto.
Alterar o nome da Prefeitura foi um ato que feriu cada um dos riopretanos e enfraqueceu nossa comunidade.
Leitor, participe dessa discussão. Vamos sair da apatia para melhorar a nossa cidade.
*Dicionário Aurélio. Casa-Grande. S. f. 1. Bras. No tempo da colônia ou do Império, casa senhorial brasileira, de engenho de açúcar ou de fazenda.

Translate